Política

RIO DE JANEIRO

Crivella exonera secretários de Paes, mas o filho e a Igreja continuam na prefeitura

sexta-feira 4 de agosto| Edição do dia

Crivella declarou-se "indignado" com a investigação sobre os secretários de Eduardo Paes, que seguiram fazendo parte da prefeitura atual. O prefeito do Rio de Janeiro exonerou Alzamir de Freitas Araújo e Eduardo Fagundes de Carvalho, citados na investigação sobre o esquema de propinas que acontecia durante a obras ocorridas durante a gestão de Eduardo Paes, e que até ontem estavam na lista de pagamento da prefeitura fruto das negociatas de "transição" entre Paes e Crivella.

Alexandre Pinto da Silva, ex secretário de obras de Paes responsável por coordenar a cobrança da "taxa de oxigênio" nas obras da Copa, Olimpíadas e BRT Transcarioca, segundo a investigação, não constava no executivo atual porque havia sido cedido à Câmara Municipal ainda em 2016 estava cedido para a Câmara Municipal.

Um ato de demagogia por parte do prefeito que, apesar da multa diária de 10 mil da justiça, mantém seu próprio filho e toda a sua Igreja nos cargos nomeados de secretários com super salários de até 33 mil, enquanto a maioria dos trabalhadores cariocas mal recebem um atendimento básico de saúde ou enfrentam o desemprego.

Todo uma grande demagogia enquanto toca o esquema para se dar bem e impulsionar sua Igreja enquanto manda fechar 15 clínicas da saúde demitindo 300 equipes ou ainda dando isenções fiscais para as empresas de ônibus enquanto corta o bilhete único dos estudantes.




Tópicos relacionados

Marcelo Crivella   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar