Sociedade

RIO DE JANEIRO

Crivella destrói projeto na Rocinha que alfabetizava moradores e fazia coleta seletiva

A Secretaria Municipal de Ordem Pública destruiu o projeto De Olho no Lixo, na Rocinha, Zona Sul do Rio de Janeiro, com retroescavadeiras e policiais para a reprimir a população.

segunda-feira 19 de novembro| Edição do dia

O projeto social De Olho no Lixo, que funcionava na Rocinha, na Zona Sul do Rio, foi violentamente retirada no dia 16 de novembro pela prefeitura do Rio. 200 pessoas da Rocinha e do Vidigal eram atendidas direta e indiretamente. Muitos empregos deixaram de existir com a remoção.

O projeto era uma parceria da Secretaria Estadual do Ambiente, do Instituto Estadual do Ambiente e do Viva Rio e trabalha, além da coleta seletiva de resíduos, com cursos gratuitos de oficinas de percussão, moda e aulas de alfabetização.

O projeto De Olho no Lixo se pronunciou nas redes sociais: "Lamentável a falta de sensibilidade com que foi tratado o projeto pela prefeitura, que covardemente levou um trabalho de mais de dois anos ao chão, junto com toda estrutura e empregos que são gerados. A Prefeitura não escolheu o diálogo e o Estado sequer foi notificado. Os maiores prejudicados são os moradores da Rocinha e São Conrado, além do Ambiente".

A Secretaria Municipal de Ordem Pública absurdamente declarou que a estrutura era irregular, mas não soube explicar por que atuou no local, já que o uso do terreno foi cedido pelo estado. Ou seja, o estado derruba um projeto social a força e nem mesmo justifica seus atos, de qualquer forma injustificáveis.

Crivella mais uma vez atua contra o povo pobre e trabalhador. Na mesma Rocinha, o bispo já clamou pela repressão do exército e já declarou fazer uma reforma na fachada da Rocinha para que as pessoas que passem pela estrada Lagoa-Barra olhem pra favela e “tenham a ideia de uma comunidade arrumada e bonita”.




Tópicos relacionados

Rocinha   /    Marcelo Crivella   /    Crise no Rio de Janeiro   /    Sociedade

Comentários

Comentar