Sociedade

ENCHENTES RJ

Crivella congela 90% do orçamento contra enchentes, sendo cúmplice de 4 mortes

Depois de rir da cara da população do Rio de Janeiro que está sofrendo com as inúmeras enchentes na cidade, que no último dia 15 deixou 4 pessoas mortas, Crivella congela 90% das verbas para tratar das enchentes em 2018.

quarta-feira 28 de fevereiro| Edição do dia

A lei de orçamento anual (LOA) de 2018 previa o valor de R$ 115,6 milhões destinados às questões relacionadas a enchente, como o controle e fiscalização do sistema de drenagem e a dragagem de rios e canais. Mas R$ 96,1 milhões foram contingenciados e R$ 7,6 milhões cortados diretamente desse orçamento, deixando apenas R$11,9 milhões para executar os serviços.

No primeiro ano de gestão de Crivella, o valor destinado às enchentes já foi inferior do que no ano anterior quando comparado, mostrando que o compromisso do prefeito não é com as resolução dos problemas da cidade, quer continuar vendo famílias perdendo suas casas, pertences, e seus entes.

Além de cortar absurdamente os investimentos e orçamento para o controle de enchentes, Crivella, do alto dos seus privilégios, conforto e mega salário, recentemente chegou a fazer piada com a situação de inúmeras famílias que sofrem com as enchentes, dizendo que vai ter o “Balsa Família”, se referindo ao programa bolsa família.

É revoltante o descaso que Crivella mostra pela vida da população, seu interesse é colocar nas mãos dos empresários e das igrejas que têm relação mais e mais privilégios e dinheiro, enquanto isso relega à população tragédias e miséria, além de dizer que a intervenção federal no RJ, que entrou superpoderes a um general para reprimir, deveria ter acontecido antes.

Crivella é responsável por cada morte, por cada lágrima que sai dos olhos das mães que perdem seus filhos no Rio de Janeiro. Precisamos lutar para impor obras e serviços públicos, dando a infraestrutura necessária para que os trabalhadores possam viver tranquilamente, para isso é preciso enfrentar os interesses dos capitalistas, fazendo com que por exemplo, os milionários paguem impostos condizentes com as grandes fortunas que tem e que esse dinheiro seja destinado à resolver as demandas da população.




Tópicos relacionados

Enchentes   /    Marcelo Crivella   /    Rio de Janeiro   /    Sociedade

Comentários

Comentar