Cultura

CINEMA

Critica do filme Logan

Logan é um personagem que envelheceu junto com seu público. Quando jovens víamos as aventuras do grande Wolverine, sua determinação e senso de fazer o que for preciso como grande fonte de inspiração para muitos jovens. Assim, como publico envelhece Logan foi envelhecendo e absorvendo os traços do envelhecimento de seu publico que em um contexto de crise econômica expressou inúmeras particularidades.

terça-feira 7 de março| Edição do dia

Contem spoilers.

Wolverine dirige Uber, é quebrado, viciado em drogas, alcoólatra, solitário, de relações desfuncionais e em um espiral auto-destrutivo que levaria necessariamente ao seu suicídio. Expressa a decadência de uma período.

Um filme com boas sacadas, mas naufraga devido o formato blockbuster. Com teques de media de 3 segundos, excesso de cenas de ação, extremamente violento, ausência de diálogos que constroem as relações dos personagens ou cenas que constroem o personagem; o filme vai desenhando uma trama com personagens que carecem de motivação e desenvolvimento.

Ainda a história é a de sempre do Wolverine, um passado mal resolvido como qual o personagem não lida. Durante a trama Logan não se desenvolve como personagem, é sempre a situação que faz ele agir, então ele não tem nenhum interesse, sempre levado. O personagem fica à deriva e os momentos que o personagem poderia desenvolver relação, como nas cenas de viagem, dos Charles Xavier ou com Laura ou X-23 não ocorrem. Muito menos poderia ocorrer qualquer desenvolvimento do personagem da X-23 simplesmente porque em mais 1 hora de filme ela fica muda, e muito menos ela desenvolve uma mímica que comunicaria alguma coisa. A personagem com pouco destaque e somente vai se ter falas mais profundas nas últimas cenas.

Os elementos de ficção de cientificas são utilizados como suportes para verosimilhança da narrativa, aqui não fica nenhuma critica ou representação do que está para vir a ser o futuro da engenharia genética. Esses elementos de reflexão do vir a ser a relação da tecnologia, humano e a sociedade não ocorrem.

Alguns elementos do cenário político não poderiam faltar, principalmente falando que o ator principal é australiano, o personagem principal é canadense cruzando as fronteiras do México e EUA. A cena dos jovens alcoolizados gritando "USA, USA, USA" atravessando a fronteira dos EUA deixa bem figurativa os elementos de xenofobia da sociedade americana, os conglomerados americanos no México utilizando a mão de obra barata e fazendo experimentos desumanos e o Canadá despontando como um país aberto às diferenças e aos mutantes.

A questão central dos X-man dos mutantes, o preconceito que os cerca, proteger uma sociedade que os odeia, que são as temáticas cânones da série são negligenciadas e a primeira é quase que esquecidas. O filme traz basicamente uma sociedade já sem mutantes que isso fica sem relevância na história.

Um filme que é divertido para o grande público porque tem uma sucessão de cenas decapitação, desmembramentos, explosões, cenas de ação de encher os olhos, mas é só isso. A questão de fundo é a necessidade de um tapa do gosto do publico que se hipnotiza fácil com cenas de violência e de outro lado a industria do cinema americano que espetaculariza a violência. Logan é um dos últimos respiro da franquia dos X-men, mas é um filme fraco.




Tópicos relacionados

Cinema   /    Cultura

Comentários

Comentar