Sociedade

ARARAQUARA

Crise hidrica! 11 bairros de Araraquara sem água

sexta-feira 21 de outubro| Edição do dia

Foto: Luis Antonio

Cada dia fica mais na cara do trabalhador que falta água na casa de quem ganha pouco e no condomínio vizinho não faltar água nenhuma. Com as constantes faltas de água fazem parte da vida à 4 meses de vários bairros da zona norte de Araraquara. No dia 21 de outubro, de 2016, ficaram 11 bairros sem água (Roxo, São Rafael, Ch. Flora. Pq. Planalto, Maria Luíza, Águas do Paiol, Nova Araraquara, Lupo 1, lupo 2, vale do sol, Selmi Dei). No Semi Dei são 8 dias sem agua. Escola Municipal teve um turno do periodo da manhã fechado, veja aqui: funcionou sem água. Essa mesma região já vinha passando por demissões, despejo e inadimplência do “minha casa e minha vida”, veja aqui. A mídia noticia, mas não fala da crise hídrica da cidade, veja aqui.

Querem desmontar a CTA e problemas ambientais

A prefeitura tem usado o caixa do DAAE (Departamento Autônomo de Águas e Esgotos) para pagar as dividas da prefeitura. Aumentos nos impostos e manobras para suas aprovações já vimos acontecer o ano passado.

Com o caixa sugado pela prefeitura seria utilizado para obras de manutenção, aumento da rede de esgoto e modernização da infra-estrutura; mas conforme o tempo passou ficou sem dinheiro para essas áreas deixando a empresa defasada. Oportunista os políticos, que arrendaram a empresa para afiliados com seus super-salários para não fazerem nada, falam que o problema é dos trabalhadores do DAAE que não dão conta e que a empresa ta falida. Lembremos da CTA que a promessa de privatização da melhoria dos transportes não ocorreu com a Empresa Cruz.

As soluções dos problemas é a tirada da influencia da prefeitura e deixar o trabalhador que se importa com a cidade dele controlar a empresa, não políticos de carreira, e a população que precisa da água escolha as direções e presidências da empresa.

A prefeitura sempre fala da falta de investimentos em novas maquinas, então que se abra o livro contas da empresa e contratos para descobrirmos os principais usuários de água. Auto-evidente que a falta de água é seletiva.

A entrada de areia nas bombas ocorre pela alteração na distribuição da água no lençol freático. Indícios de problemas ambientais mais graves na região exigem estudos sobre o planejamento do bairro e os impactos ambientais. A prefeitura sempre comprará essas pesquisas, para investigação mais isenta precisasse um grupo independente de investigação ambiental e geografia.




Tópicos relacionados

Sociedade   /    Falta d’água

Comentários

Comentar