Economia

SÃO PAULO

Crise econômica faz 300mil deixarem de usar metrô, o capitalismo retira nosso direito a se locomover

O Metrô de São Paulo teve 300 mil usuários a menos este ano em comparação ao ano passado segundo matéria do Estado de São Paulo. A empresa estatal controlada pelos tucanos, e fonte de intermináveis esquemas de corrupção conhecidos como “trensalão”, acusa a crise econômica e a perda de emprego e renda por esta diminuição nos passageiros.

Diana Assunção

São Paulo | @dianaassuncaoED

quinta-feira 28 de julho de 2016| Edição do dia

Enquanto as empresas sonegam impostos e usam a crise para fazer os trabalhadores pagarem pela crise, demitindo, cortando direitos e dando aumentos abaixo da inflação, o governo tucano de Alckmin perdoou a dívida de R$ 116mihões da Alstom. Fazem os metroviários trabalharem cada dia em pior situação, e fazem os usuários sofrerem com recorrentes atrasos e problemas técnicos. Precarizam o serviço e ainda depois vão querer usar isso de desculpa para aumentar as tarifas ou privatizar, como querem fazer com a linha 5-Lilás.

Não estão nem aí com o direito elementar de ir e vir. Para eles esse direito só existe contra as manifestações e piquetes. Se 300mil pessoas não podem mais usar o metrô é um azar delas. Para as empresas não. Não há essas dificuldades. Há perdão de dívida.

É possível dar um basta nesta situação. Lutamos para erguer uma voz anticapitalista na juventude, entre os metroviários, entre os professores e todos usuários do metrô para que o transporte seja um direito. Queremos levar essa voz anticapitalista à Câmara de Vereadores de São Paulo para ecoar ali gritos que juntos levamos às ruas em junho de 2013: transporte gratuito para todos mediante a estatização sob controle dos trabalhadores e usuários de todo sistema de transporte. Confisco dos bens de empresas e políticos corruptos para revertê-lo na qualidade e expansão da rede metro-ferroviária!




Tópicos relacionados

Alckmin   /    Metrô   /    São Paulo (capital)   /    Economia

Comentários

Comentar