Internacional

AJUSTE FISCAL

Costa Rica se mobiliza contra ajuste do FMI no terceiro dia de greve

Pelo menos 150 mil pessoas se mobilizaram na quarta-feira na Costa Rica durante o terceiro dia da greve geral contra o plano de ajuste e a reforma fiscal solicitada pelo FMI.

quinta-feira 13 de setembro| Edição do dia

Foto: elmundo.cr
A Costa Rica viveu nesta quarta-feira a mais importante mobilização de trabalhadores da última década. Pelo menos 150 mil pessoas invadiram as ruas da capital como parte do terceiro dia de uma greve geral de tempo indefinido convocada pelos sindicatos desde a última segunda-feira.

Os trabalhadores e estudantes protestam contra a Reforma Fiscal promovida pelo governo de Carlos Alvarado e exigida pelo FMI. Esta reforma aumentará o cesta básica e aumentará o imposto sobre o valor acrescentado para 13%.

Os protestos tiveram os dois primeiros dias de um caráter de greve regional, com mobilizações, atos e bloqueios nas diferentes comunidades, mas esta quarta-feira houve um salto com a realização de uma marcha unificada dos trabalhadores.

Foto: elmundo.cr

Nas horas de segunda-feira à noite, uma pesquisa de opinião foi transmitida em um dos principais canais de televisão, onde o apoio à greve foi de 92% a favor e 8% contra, com cerca de 20.000 participantes, segundo a imprensa.

Por outro lado, o governo tem mantido silêncio sobre a greve e parece não haver qualquer perspectiva de negociação no ambiente, objetivo político estabelecido pelos dirigentes sindicais.

O movimento estudantil havia votado sua participação na mobilização desta quarta-feira. Na Universidade da Costa Rica, como parte de um processo de assembleias que vem desde sexta-feira anterior, se votou um chamado para uma greve em toda a Universidade e, na tarde de quarta-feira, uma nova assembleia foi realizada.




Tópicos relacionados

Trabalhadores   /    Fundo Monetário Internacional - FMI   /    Greve   /    Ajustes Fiscais   /    América Latina   /    Internacional

Comentários

Comentar