Educação

CORTES NA EDUCAÇÃO

Corte no orçamento coloca em risco o funcionamento das escolas da Rede Federal

quinta-feira 18 de agosto| Edição do dia

O Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (CONIF) soltou uma nota na última terça-feira denunciando o enorme corte que a Rede sofrerá em 2017. A Rede Federal de Educação, Ciência e Tecnologia é composta pelos dois Centros Federais de Educação Tecnológica (CEFET), pelos 38 Institutos Federais (If) e pelo Colégio Pedro II.

O valor reivindicado pela matriz orçamentária do CONIF, tendo em vista a expansão no número de campi e de matrículas, era de R$ 3,7 bilhões para o custeio e manutenção das atividades. Entretanto, o governo federal, por meio do seu Ministério da Educação, aprovou apenas R$ 2,1 bilhões para a manutenção das atividades, fazendo com que o orçamento para a Rede Federal seja equivalente ao de 2012, quando a Rede contava com um terço dos campi atuais e tinha pouco mais da metade do número de estudantes matriculados.

Em 2016, a Rede Federal já sofreu um significativo corte orçamentário, passando o orçamento de R$ 2,8 bilhões para cerca de R$ 2,5 bilhões, a despeito de ter aumentado em cerca de noventa mil o número de alunos matriculados.

Somado ao corte do ano passado, o corte atual coloca a Rede Federal no limite de ajustes possíveis, diz seu Conselho Nacional, colocando em risco o próprio funcionamento dessas instituições que “terão sérias dificuldades para garantir a oferta de vagas em 2017 e chegar ao fim do próximo ano em atividade”.




Tópicos relacionados

Educação

Comentários

Comentar