Mundo Operário

IESA

Corrupção e milhões ao ralo. Os trabalhadores sem salário. Quem é a IESA?

quinta-feira 13 de outubro| Edição do dia

Trazemos uma serie de fatos que recusam a ideia do discursos dos diretores e patrões que não existe dinheiro para os salários. Dentro dessa novela o núcleo rico, não tendo gente boazinha, somente pensa em mais dinheiro e deixar mais pobre o trabalhador. 3 meses sem salários e sem promessa de pagamentos, ameça de demissões torna o ambiente de trabalho insuportável e em casa contas atrasadas, endividado com parentes, negociando carro, vendendo notebook, sem dinheiro para os filhos e assim por diante se tornou a vida. Para políticos e suas campanhas os diretores pagavam a vista. Dinheiro falta para nossas vidas e sobra para os ricos e políticos.

Começando com atual prefeito Marcelo Barbieri (PMDB) indo a Coréia do Sul para fechar para O MAIOR CONTRATO REALIZADO NA HISTÓRIA DE ARARAQUARA, cerca de R$ 2 bilhões, com a Hyundai e tendo a IESA levado sua parte. Na mesma época nossos patrões demitiram MIL FUNCIONÁRIOS de Charqueadas(RS) falando que a empresa estava em “crise”.

O presidente da empresa, Valdir Lima Carreiro, e o diretor, Otto Garri do Sparenberg foram PRESOS NA OPERAÇÃO LAVA-JATO. IESA fez doações a campanha eleitoral do Lula em 2006, totalizando R$ 1,562 milhão, e na época a empresa já era investigada na operação da polícia federal batizada de “Águas Profundas”. Delcídio Amaral, em 2006, ganha R$50 mil da IESA para sua campanha, sendo PRESO EM 2015 NA OPERAÇÃO LAVA-JATO. A operação lava-jato não é confiável porque investiga alguns e não faz nada com a banda podre de outros partidos(PMDB e PSDB).

Edinho Silva, em 2010, na época deputado estadual e o então senador Delcídio Amaral foram recepcionado pelo prefeito Barbieri para prestigiar a abertura do primeiro laboratório de turbinas hidráulicas do Brasil, construído na unidade fabril da IESA/Araraquara, totalizando o investimento de R$ 15 milhões. Nesse ano Delcídio, em delação premiada, contou os esquemas que as empresas pedem investimentos ao BNDES e em troca fazem financiamentos de campanha, e cita Atilano Oms Sobrinho, presidente do Conselho de Administração do Grupo Inepar, controlador da IESA, de realizar esse esquema. Delcídio diz que Edinho Silva orientou pagar a dívida de campanha eleitoral da chapa Dilma-Temer com um possível dinheiro de caixa 2.

O governador petista do Acre, Tião Viana recebeu uma doação de R$ 300 mil da empresa Iesa Óleo e Gás em 2010, na campanha de governador. A Procuradoria da República acusa-o de receber propina dos contratos ilícitos firmados pela Iesa com a Petrobras. O Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle (MTFC) proibiu a IESA de fazer contratos com o poder público por 2 anos já que é suspeita de participação num cartel que fatiou – e fraudou – contratos com a Petrobras.

Os patrões fazem o mesmo em outras fabricas

Há 2 anos de crise que os metalúrgicos da IESA passam por demissões, atraso de salários e falta de pagamento de férias, FGTS e de valor rescisório. Da recuperação judicial até hoje são mais de 700 demissões. Funcionários tem 2 ou 5 salários atrasados, outros estão com 6 anos de fundo de garantia atrasados.

Por fora da luta não conseguiremos o que é de direto. Não vivemos de demissões e a luta virá. Os trabalhadores da METALBRAS articularam uma greve contra seu próprio sindicato contra os empresários, contra a polícia que foi amedrontar esses trabalhadores na semana passada, numa greve LEGÍTIMA, pelos seus salários, por seus companheiros, por suas famílias.

A greve desses trabalhadores tem potencial, caso unificada com a IESA, de ser um questionamento direto aos ataques do governo golpista do Temer. Por que o "modelo" de empresa desse governo é esse, envolvendo inclusive membros do PMDB.




Tópicos relacionados

Araraquara   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar