Política

VALE DO PARAÍBA

Corrupção, desemprego e incertezas em Taubaté

Enquanto os trabalhadores sofrem com o maior índice de desemprego em 10 anos na cidade, o prefeito tucano planejava a reeleição mesmo após de ter tido o mandato cassado duas vezes

terça-feira 2 de agosto| Edição do dia

O prefeito de Taubaté, Ortiz Junior (PSDB) teve o mandato cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), nessa segunda-feira, assim como seu vice, Edson Oliveira (PSD). A acusação é de abuso de poder político e econômico durante as eleições de 2012 – segundo a acusação, cerca de R$ 8 milhões teriam sido arrecadados ilicitamente para a campanha. Em 2013 a chapa já havia sido cassada pela Justiça Eleitoral de Taubaté, mas recorreu ao Tribunal Eleitoral Regional (TER-SP), que por sua vez manteve a cassação em 2014. Após recorrer novamente, dessa vez ao TSE, finalmente a dupla perde o mandato, que por sua vez já estava acabando. Não custa observar, também, que o famoso defensor do tucanato e presidente do TSE, Gilmar Mendes, votou contra a cassação de Ortiz Junior.

O atual presidente da câmara de vereadores da cidade, Paulo Miranda (PP), que está em seu primeiro mandato, deve assumir o cargo interinamente, mas existe a especulação de que não aceite, cabendo aos vereadores a eleição de outro presidente para a câmara, que logo passa a ser o prefeito interino. Ortiz Junior tentaria a reeleição na cidade, mas com a votação de ontem ele e seu vice estão proibidos de participar do próximo processo eleitoral.

O esquema de corrupção articulado por Ortiz Junior contou com a participação de seu pai, Bernardo Ortiz, ex-prefeito da cidade por duas vezes, no começo da década de 1990 e depois em 2000. Em 2012 Bernardo Ortiz presidia a Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE), órgão do governo do estado de São Paulo, e participou no esquema de corrupção para a eleição do filho, em Taubaté, fraudando licitações para compra de material escolar. A investigação do Ministério Público já havia levado ao afastamento de Bernardo Ortiz daquele cargo.

Desemprego e incertezas para os trabalhadores

Taubaté é a segunda cidade em importância econômica no Vale do Paraíba, bastante ligada ao setor industrial e em maio desse ano chegou ao maior índice de desemprego em 10 anos, desde quando a Universidade de Taubaté (Unitau) começou a fazer o levantamento, contabilizando 30 mil desempregados. Em junho a queda de empregos no setor foi de 1,36%, maior que no mesmo mês do ano passado, quando foi de 0,64%. A unidade da Volkswagen localizada na cidade remanejou as folgas previstas pelo PPE (Plano de Proteção ao Emprego), parando a produção por mais uma semana – já estava parada desde o último dia 26 – por falta de peças. Só nessa planta são cerca de 4 mil trabalhadores, que temem uma onda de demissões, como os 450 demitidos pela LG no final do ano passado.




Tópicos relacionados

Vale do Paraíba   /    Corrupção   /    Política

Comentários

Comentar