Política

Corrupção da família Bolsonaro: o silêncio ensurdecedor de Moro e da Lava Jato

Onde foram parar os powerpoints? E as convicções?

domingo 9 de dezembro de 2018| Edição do dia

Proclamado aos quatro ventos o paladino do combate a corrupção. Prolixo e pró-ativo, despachando até nas férias quando se trata de dar continuidade ao golpe institucional, Sérgio Moro está calado sobre as denúncias de corrupção envolvendo a família Bolsonaro. A Lava Jato e seus histriônicos procuradores, fãs de powerpoint também estão brincando de vaca amarela.

Sérgio Moro deu uma declaração de imprensa na sexta-feira e recusou-se a responder sobre o escândalo do milhão do motorista de Bolsonaro e seu depósito para a esposa de Bolsonaro. A mídia não o criticou pelo silêncio como fez com o ministro Onyx.

Dallagnol, um influencer nas redes sociais que periodicamente faz as vezes de apresentador de powerpoint do MPF preferiu fazer uma postagem em seu facebook sobre corrupção nas multas de trânsito de embaixadores em Nova Iorque...

Esse silêncio nada inocente da Lava Jato e Sérgio Moro escancara a arbitrariedade do judiciário. Atuam à despeito de provas "graças a suas convicções" quando seus objetivos são de destruição de estatais para sua entrega ao imperialismo ou de dar continuidade ao golpe institucional. Mas quando os esquemas atingem peças uteis a ataques aos direitos dos trabalhadores e a seus objetivos políticos sua atuação é radicalmente distinta.

Basta lembrar a conivência de todo judiciário com Eduardo Cunha até a aprovação do impeachment, ou Pezão, até este garantir diversos ataques ao funcionalismo e população do Rio de Janeiro.

Sob tutela de Sérgio Moro como "superministro da Justiça", a COAF, de onde originou a denúncia contra o clã Bolsonaro pode ser usada na função de "engavetador geral da república" e/ou como pressão para que o presidente eleito com todo apoio do golpismo judicial - não somente proibindo Lula de ser candidato mas até mesmo roubando o direito de milhões votarem, usando a desculpa da biometria, uma medida que tirou milhões de votos do nordeste - foque no que o imperialismo e a burguesia nacional quer em primeiro lugar: a reforma da previdência e a entrega da Petrobras e o do pre-sal.

Sob a tutela de uma casta de juízes e procuradores com seus supersalários e privilégios, com suas mil-e-uma relações com os empresários e que são treinados pelo governo americano, como foi o caso de Sérgio Moro, não se combaterá a corrupção, nem sequer se terminará de conhecê-la. O Esquerda Diário defende que todo juiz seja eleito e revogável, que ganhe como uma professora, e que todo caso de corrupção seja julgado por juri popular para garantir a expropriação de todos bens e empresas de corruptos e corruptores e que o roubo do país, agora com novos esquemas de corrupção com o aval e silêncio da Lava Jato e Sérgio Moro sejam destroçados e as riquezas do país, como as vastas reservas de petróleo sejam colocadas a serviço da população através de uma Petrobrás 100% estatal, administrada pelos petroleiros com controle popular.




Tópicos relacionados

Governo Bolsonaro   /    Sérgio Moro   /    Operação Lava Jato   /    Corrupção   /    Política

Comentários

Comentar