GOLPE DE ESTADO NA BOLIVIA

Correspondente do La Izquierda Diario e artista plástico presos em El Alto foram libertados

Eles haviam sido presos nas proximidades da ceja de El Alto na segunda-feira à tarde, quando se reuniram para divulgar um ato de solidariedade às famílias que perderam seus entes queridos no massacre de Senkata. Nesta quinta-feira, 19, um mês após o massacre de Senkata, às 10 horas na UPEA, o ato "justiça por todos os nossos mortos" será realizado! # SenkataNoEstáSola! Liberdade de todos os presos políticos.

quarta-feira 18 de dezembro de 2019| Edição do dia

Libertaram Carlos Cornejo, correspondente do La Izquierda Diario da Argentina e Brasil, e Leonal Jurado, um artista plástico preso ontem em El Alto.

Eles foram presos com a jovem Andrea Mamani, libertada horas depois, nas proximidades da Ceja de El Alto, na tarde de segunda-feira, quando se encontraram para divulgar um ato de solidariedade às famílias que perderam seus entes queridos no massacre de Senkata.


Organizações de direitos humanos da Bolívia e da Argentina, assim como o presidente deposto Evo Morales, reivindicaram sua liberdade.

O representante de Direitos Humanos de El Alto, David Inca, disse que "na segunda-feira eles estavam na vizinhanças do ginásio Polifuncional da cidade de El Alto, onde estavam colando alguns papéis que diziam: "Senkata, você não está sozinha!" “Tudo indica que foi uma atividade da inteligência da polícia para intimidar, porque eles não cometiam nenhum delito, foi uma ação policial irregular".

Carlos e Leonel continuarão lutando contra a repressão e a impunidade em um cenário de forte perseguição política e onde ainda persistem detenções arbitrárias após o golpe de Estado cívico, policial e militar.

Na Argentina houve uma forte repercussão que despertou solidariedade e repúdio à perseguição desencadeada pelo autoproclamado governo de Áñez. Ao ouvir as notícias de sua declaração, os referentes do PTS e do FIT-U Nicolás Del Caño e Myriam Bregman enviaram saudações aos companheiros libertos e agradeceram o apoio recebido.

Carlos e Leonel foram presos porque estavam preparando a atividade de solidariedade que ocorrerá nesta quinta-feira, 19 de dezembro, um mês após o massacre de Senkata. Agora, com mais força depois de terem conseguido – a partir de uma ampla demonstração de solidariedade - sua liberação, desenvolveu-se uma experiência valiosa que mostra que é possível seguir lutando pela libertação de todos os outros presos políticos e por justiça pelos mortos deixados pelos autoproclamado Governo de Áñez. Portanto, convidamos todos para acompanhar este importante ato, nesta quinta-feira, às 10h, na UPEA.




Tópicos relacionados

Golpe de Estado Bolívia   /    Repressão

Comentários

Comentar