Cultura

REFORMA TRABALHISTA

Cordel sobre reforma trabalhista: ’Só lembrando, viu...’

José Ferreira Júnior

Serra Talhada – Pernambuco

segunda-feira 17 de julho| Edição do dia

A poesia popular, mais especificamente a de Cordel, é via por que se expressam vontades, queixumes, idealizações e, claro, protestos. É arte. E, como disse Celso Frederico, a arte serve como “afirmação ontológica, objetivação, momento decisivo de autoconsciência do ser social”.

O poeta popular, o cordelista, geralmente costuma glosar, ou versar, usando o palavreado do seu mundo, ou seja, não há preocupação com a língua culta, quando do seu versejar. Fazer-se entendido é o seu objetivo.

Quanto à forma, essa poesia é variada. A mais usada são as glosas septilhas, ou seja, as que contém sete (7) linhas, comumente chamadas versos. Pode haver contagem de sílabas ou não, prioriza-se, todavia, a rima.

O poema que segue é uma septilha e não há preocupação com silabação.

Nasceu instantaneamente, como ocorre sempre que se trata de poematização... O que lhe instigou foi a leitura do efeito cascata de patifarias protagonizadas pelas instituições republicanas brasileiras, desde que foi implantado o golpe político que aí está e que resulta de conluio entre Executivo, Legislativo e Judiciário, lacaios que são do grande capital. Sendo a mais recente, a Reforma Trabalhista, que pôs por terra conquistas obtidas a duras penas, pela classe trabalhadora brasileira, no transcurso de sua história.

SÓ LEMBRANDO, VIU...

NO BRASIL, FOI APROVADA
A REFORMA TRABALHISTA
QUEM APÓIA TAL DESGRAÇA
É DOIDO OU CURTO DA VISTA
ACABARAM GARANTIAS
MAIS UMA PATIFARIA
DESSE GOVERNO GOLPISTA

PRA QUEM APOIOU O GOLPE
É NECESSÁRIO SABER
QUE PRA CASA DO CARALHO
MANDARAM A CLT
PRESTE ATENÇÃO, PANELEIRO
ESSE GOVERNO FULEIRO
FUDEU TAMBÉM COM VOCÊ

AQUILO QUE DAVA GARANTIA
A VELHA CARTEIRA ASSINADA
HOJE É COISA DO PASSADO
PORQUE NÃO VALE MAIS NADA
AGORA É FLEXIBILIZAÇÃO
QUEM DITA A REGRA É O PATRÃO
À PESSOA CONTRATADA

COMO TRABALHADOR, EU SEI
QUE É CERTO, TOMEI NA JACA
MAS, UMA COISA É CERTA
VOCÊ TAMBÉM NÃO ESCAPA
TU QUE É POBRE E DE DIREITA
TAÍ, DO GOVERNO A RECEITA
COISA BEM EMPREGADA!

MAS, DESGRAÇA POUCA É BOBAGEM
AGUARDE, TENHA PACIÊNCIA
MAIS UM POUQUINHO, ESPERE
CHEGA JÁ, OUTRA INDECÊNCIA
PRA COMPLETAR O ESTUPRO
DAQUI A POUCOS MINUTOS
TEM REFORMA DA PREVIDÊNCIA

VOCÊ QUE BATEU PANELA
QUE FOI PATO DA FIESP
QUE O GOVERNO ANTERIOR
CHAMOU LADRÃO E DE PESTE
COMO SE SENTE AGORA?
NÃO CHORE, VÁ LÁ PRA FORA
E LOUVOR A TEMER PRESTE

NÃO SOU PETRALHA, NEM COXINHA
SOU É TRABALHADOR
EU QUASE NÃO ME APOSENTO
PORQUE TEMER ME LASCOU
IMAGINE VOCÊ
JOVEM, QUE PENSA LIVRE SER
TEMER LHE ESCRAVIZOU!

DESSE GOVERNO PILANTRA
SAIBA QUE TUDO SE ESPERA
QUEM É DOIDO DUVIDAR
DESSAS BESTAS-FERAS?
A LEI ÁUREA REVOGAR
E A ESCRAVIDÃO VOLTAR?
ESTÁ NA ATMOSFERA...

Ferreira Júnior
“Arremedo de Poeta”
13/07/17.




Tópicos relacionados

Reforma Trabalhista   /    cultura   /    Poesia   /    Cultura

Comentários

Comentar