Cultura

TRIBUNA ABERTA

Contra esse sistema que quer calar nossa boca

Vemos que a página de Helena Ferreira, "Um Poema Para Helena", foi bloqueada no Facebook, devido a excesso de denúncias. Helena possui milhares de seguidores, que inclusive ajudou e ajuda muitas delas pelo poemas escritos e pela forma que defende as mulheres de homens machistas.

quinta-feira 12 de maio de 2016| Edição do dia

Sua página foi bloqueada devido a denúncia de um poema, o qual ela fez mencionando o assédio que nós mulheres sofremos no dia a dia, de não sermos respeitadas e valorizadas. Poema o qual ela fala em como o sistema oprime nós mulheres, de não termos a liberdade de ser como queremos ser.

Chega ser assustador uma página ser denunciada e bloqueada. Por pessoas que não respeitam, que não aceitam ver um poema erótico escrito por uma mulher, enquanto em suas casas possuem meios de comunicação, televisão, Internet, muito grandes, os quais dão total liberdade de verem coisas pornográficas. Novelas, filmes, que já trazem consigo um teor de imundices machistas bem grande.

Me posiciono, pois fico indignada com tamanha falta de pudor dessas pessoas que tem a capacidade de denunciar uma página por motivos tão óbvios, que é o machismo dessa sociedade medíocre que vivemos hoje.

Até quando vamos ter que aturar esse sistema que quer calar nossa voz? Sistema que joga sujo, que chega a dar ânsia de vômito.

Como diz Helena: Vai ter poema erótico sim, vai ter feminismo sim, vai ter Helena sim! Por um mundo mais justo!

Veja abaixo o poema bloqueado (retirado do post de Helena Ferreira no Facebook):

"Eu sempre fui a santinha que eles queriam exibir para os pais
Eu sempre fui a boa moça de costumes normais.
Na escola, poucos amigos
Nas redes sociais, apenas os essenciais
Na rua, sempre coberta
O medo vinha logo atrás.
A imagem do homem sempre me incomodou
Começando pelo meu pai
Machista e opressor
Aí de mim se falasse alto demais
Moça não arrota
Não anda com puta nem com menina perdida.
Eu fui totalmente oprimida pelo sistema.
O príncipe encantado aos 16
E aos poucos, uma relação de amor
Se transformou em dor.
Ele me corrompeu
Me apagou da minha própria vida
E de mim, ele me escondeu.
Eu não sabia
Mas a tormenta tinha nome
RELACIONAMENTO ABUSIVO
Cansei de ser exemplo!
Chega de ser a moça escolhida
Aquela que não se mostra
Não se exibe pra vida.
Soltei as amarras
Passei a falar alto
Tão alto que o mundo me escutou
E as amigas do colegial
Se identificaram com a minha dor.
O passado machista ainda me assombra
Pois a cada esquina
Me deparo com um vulto
Um movimento estranho
Antes fosse um cachorro raivoso
É um homem
Instinto assassino
Selvagem e sem coração
Pelo meu corpo ele sente fome.
O coração alivia quando avisto de longe uma menina
Pelo menos terei companhia
Até o ônibus que estiver menos cheio chegar.
Hoje esqueci de vir de mochila
E sendo assim, o "sarra sarra" rola o caminho inteiro
Tarado na frente
Taradado atrás
Ninguém faz nada
Mas todos olham
Não sei o que pensam
Mas o olhar se desvia
Logo que percebem oque o homem
Está fazendo comigo lá trás.
Chego em casa com o peito apertado
Minha vida não é fácil.
Desde a infância
Eu vivo nesse puteiro.
Nasci menina
Me tornei mulher
Me jogaram num mundo
Cheio de desencontros e desespero.
Mas hoje tenho a consciência
De que a errada não sou eu
Não me culpo pela saia curta
Ou pelo batom vermelho.
Danço rock pauleira sem medo
Beijo sempre que quero
Faço de mim uma casa colorida
Pronta pra sair sem rumo
E sem apego.
Minha força vem de dentro
Da revolta e do amor.
Amo meu corpo e minha vida
E me revolta não ser respeitada
Ser desvalorizada e desmerecida.
Mas não tem problema não
Eu sigo firme
Essa estrada eu sigo descalço
Sol quente e pé no chão
Tira a sua mão da frente
Seu machismo não consegue me fazer parar
Sua selvageria
Não vai me jogar no chão."

-Helena Ferreira




Tópicos relacionados

Cultura   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar