Sociedade

PORTO ALEGRE

Contra ameaça de despejo, Ocupação Lanceiros Negros resiste em Porto Alegre

Na última terça-feira (26) a justiça determinou a reintegração de posse do prédio ocupado por mais de 70 famílias sem teto. A ocupação realizou nessa quinta-feira (28) um ato de resistência contra o despejo no centro de Porto Alegre.

sexta-feira 29 de abril de 2016| Edição do dia

Dezenas de moradores e apoiadores marcharam pelas ruas do centro de Porto Alegre nessa quinta-feira (28) para protestar contra a decisão de reintegração de posse da ocupação Lanceiros Negros. O prédio ocupado estava inutilizado há oito anos e, liderados pelo MLB (Movimento Livre nos Bairros, Vilas e Favelas), a ocupação resiste há cinco meses.

Segundo os próprios moradores, mais de 70 famílias moram no prédio, sendo muitos deles crianças e mulheres que hoje não tem onde morar. A ocupação abriga muitos que foram afetados por enchentes, que fugiram da violência do narcotráfico e buscam vida e moradia dignas.

Na última terça-feira (26), o juiz Rogerio Latorre determinou a reintegração de posse imediata a ser feita pela Brigada Militar. Até agora o governador Sartori não apresentou nenhuma alternativa de moradia para as mais de 70 famílias. Diante da possibilidade de despejo e de não ter para onde ir, a resposta do movimento (que vem ganhando bastante apoio de distintos grupos políticos de esquerda, movimentos sociais, estudantes, trabalhadores, etc.) foi de "resistir até a morte", como expressou uma das moradoras, Jussara dos Santos, para matéria do Sul 21.

O ato caminhou da frente da ocupação, na Rua General Andrade Neves, até o Palácio do Piratini, passando pela Avenida Borges de Medeiros. Com palavras de ordem como "aqui tem um bando de louco! Louco por Moradia! Pra aqueles que acham que é pouco, não conhecem a noite fria!", o governo aceitou receber uma comissão de 5 representantes da ocupação para ouvir sobre o caso.

Sabemos que por trás da decisão judicial de reintegração de posse e a conivência do governo existem interesses relacionados à especulação imobiliária. Trata-se de uma realidade existente por todo o país, principalmente nas grandes capitais. Enquanto milhares de prédios são abandonados por descaso do poder público, milhares de famílias continuam sem teto e ocupam por necessidade. A resposta do poder público é sempre a mesma: repressão violenta. Ocupar, portanto, passa a ser um direito.

Mas os Lanceiros Negros prometem resistir até o fim. A partir de hoje haverá uma vigília constante na ocupação. Todos os apoiadores são bem vindos a participar e resistir juntos.

Seguem abaixo algumas das fotos do ato.




Tópicos relacionados

Porto Alegre   /    Sociedade

Comentários

Comentar