Internacional

CATALUNHA

Contra a repressão, é preciso enfrentar o Regime político de 78 para decidir tudo

domingo 1º de outubro| Edição do dia

Nesta jornada de domingo, dia 1 de outubro, fomos testemunhos tanto de cenas emocionantes como de cenas repudiáveis. Vimos o povo catalão sair em massas em defender seu direito a decidir, vimos ocuparem-se colégios e serem defendidos por professores e professoras, pais e mães, estudantes auto-organizados e, em definitivo, por bairros inteiros.

A outra cara são as imagens da repressão, das forças policiais rompendo portas, abrindo cabeças, arrasando com todo obstáculo que se encontre entre eles e as urnas. Em sua retaguarda, grupos e organizações de extrema direita protagonizam marchas em várias cidades do Estado espanhol, encorajados pela repressão e o autoritarismo do governo de Madri.

Desde a rede de agrupações que integramos (Pan y Rosas, No Pasarán, Sindicato de Estudiantes de Izquierdas e Armas de la Crítica) condenamos energicamente sua repressão e nos somamos ao clamor popular de que estas forças policiais e invasoras cessem imediatamente a repressão. Fazemos um chamado ao estudantado, à classe trabalhadora e ao povo catalão a somar-se às iniciativas de auto-organização e defesa dos colégios eleitorais, única forma para que este referendo possa realizar-se.

Entretanto, esta luta não termina hoje, mas prossegue, e tem que fazê-lo com mais força. No próximo dia 3 de outubro os trabalhadores e trabalhadoras catalães estão convocados para a greve geral, apelamos ao conjunto do movimento estudantil para que se ponha ao lado dos trabalhadores e impulsione ações de solidariedade com as paralisações na Catalunha como em todo o Estado espanhol.

O Regime político de 1978 mostrou até onde alcança sua "democracia" e o que está disposto a fazer cada vez que se questione aquilo que se deixou "preso e bem preso". É hora de por em pé uma juventude combativa que junto à classe trabalhadora queira acabar com este podre regime político herdeiro da ditadura franquista, para que realmente possamos decidir tudo.




Tópicos relacionados

Referendo na Catalunha   /    Catalunha   /    Internacional

Comentários

Comentar