Política

LULA

Contra a reacionária Lava Jato, não existe a palavra "luta" no discurso de Lula

O tom populista de Lula não poderia ser diferente. Para conseguir legitimidade no seu discurso Lula utilizou de argumentos que tocam à população como miséria e pobreza, lugares que disse conhecer, para criar um “pathos” ou uma aparência de injustiçado.

quinta-feira 13 de julho| Edição do dia

Em seu discurso na sede do PT em São Paulo Lula disse sobre a sua condenação que a única prova que existe no processo é a de sua inocência, e apelou dizendo que pedia ao povo brasileiro que se tivesse alguma prova contra ele que a apresentasse.

Disse ainda que com sua formação humilde não entende como alguém pode escrever 300 páginas e não dizer nada e comparou o seu processo a um jogo de futebol. Jogo esse que afirmou ainda fazer parte.

Lula se disse indignado e que essa indignação não lhe faz perder a crença de que há justiça no país. Quando afirmou isso, fez um apelo aos presentes na sede do PT para que seja o candidato do partido à presidência nas eleições de 2018.

Lula continuou dizendo que o congresso está tentando destruir os direitos dos trabalhadores e que os senhores da casa grande deveriam permitir que alguém da senzala (no caso ele mesmo) faça o que eles não têm competência para fazer.

Afirmou ainda, que o pobre precisa voltar a fazer parte da receita da união para que o país cresça e que a rede Globo de Televisão é disseminadora de ódio no Brasil. Para fechar com chave de ouro a sua temática de “pobre coitado”, Lula disse que não é honesto por mérito, mas porque aprendeu com uma mulher analfabeta.

Militantes do partido em frente à sede do PT em São Paulo gritavam: “Lula na veia, Moro na cadeia.”. Uma militante pela anulação do impeachment disse que se sentiu chocada com a condenação e que faz parte do golpe impedir que Lula possa ser eleito em 2018.

Diana assunção se pronunciou nas redes sociais sobre a condenação de Lula e disse: “Não defendo a política do PT nem do Lula, ao contrário combato a política de conciliação de classes deste partido. Mas a Lava Jato já se mostrou um instrumento do golpe institucional com mil e um interesses para substituir um esquema de corrupção por outro. Num momento em que se avançam as reformas em nosso país, inclusive com traição da Força Sindical e boicote das centrais sindicais como CUT e CTB, a condenação de Lula não é pela corrupção, o judiciário brasileiro já mostrou que mostra, oculta e interpreta fatos conforme interesses. Essa condenação se liga a um interesse de aprofundar ataques contra a classe trabalhadora, apesar deste (Lula) não ser há muito tempo um representante de nossa classe.”.




Tópicos relacionados

Operação PF contra Lula   /    Operação Lava Jato   /    Lula   /    Poder Judiciário   /    Política

Comentários

Comentar