Educação

APOIO À GREVE DOS PROFESSORES

Construir um bloco de estudantes da UFRGS no ato estadual unificado contra Sartori

Nesta sexta-feira (29) ocorre o ato estadual unificado contra Sartori, construído pelos professores em greve e por diversas outras categorias do serviço público. É necessário que os estudantes da UFRGS marquem presença, reforçando seu apoio à greve dos professores e sendo parte desta luta.

quinta-feira 28 de setembro| Edição do dia

O Funcionalismo público do RS se encontra sob os ataques do governador José Ivo Sartori (PMDB) desde o início da gestão. Os professores da rede estadual estão cada dia mais mobilizados para enfrentar todos os ataques com os quais Sartori quer descarregar a crise do estado nas costas da classe trabalhadora.

Veja mais: A unidade necessária para derrotar Sartori e Marchezan

Com mais de vinte dias de greve, os professores nos mostram o caminho de como derrotar os ataques que são deferidos pelo governo. É preciso que todos os setores que serão atingidos pelos ataques de Sartori e Marchezan, apoiem essa luta e se unam quebrando a barreira do corporativismo, a um setor que é um verdadeiro exemplo de mobilização: Os professores do estado.

De ultima hora, Sartori nos anuncia mais um ataque que abre brecha para a legalização dos parcelamentos dos salários. Ele enviou à assembleia legislativa um projeto de lei que visa autorizar pequenas indenizações aos servidores públicos em casos de futuro parcelamento de salários. A divida será paga no mês seguinte ao mês do salário que foi pago com atraso. Isso implica em na legalização dos salários parcelados, pois se é permitido que se pague indenizações aos servidores por salário parcelado, significa que também é permitido parcelar salários. Sartori não dá nenhuma segurança sobre de onde será retirado o dinheiro e também em contrapartida alega não possuir fundos para o pagamento integral dos salários.
Declarar concebimento de indenizações sem sequer dar segurança sobre elas, é uma forma de desmobilizar a categoria com promessa infundadas. E isso não deve acontecer.

Para isso, é necessário que nós, estudantes da UFRGS, estejamos ao lado dos professores tendo consciência que é um setor importante que se destaca em meio a todos os setores de lutas do brasil nesse momento, e que nos mostrará e ajudará a conduzir a classe trabalhadora a se mobilizar contra os ataques advindos da crise dos capitalistas, e que estão sendo jogados nas costas dos estudantes e dos trabalhadores.

Ocorrerá amanhã as 9:30 da manhã no ginásio Gigantinho, após a assembleia de mobilização da categoria, uma marcha que encontrará o conjunto do funcionalismo público no Centro. No largo Glênio Perez, ocorrerá um ato estadual unificado contra Sartori e os parcelamentos. É importante que os alunos da universidade estejam presentes demonstrando apoio a luta e às reivindicações.

Desde o Centro de Alunos da Filosofia da UFRGS foi impulsionada uma roda de conversa para construir um comitê de apoio aos professores em greve e em defesa da educação pública. É necessário construir ativamente essa ferramenta de luta e esse apoio. Confirme presença também no Facebook.




Tópicos relacionados

Marchezan   /    Sartori   /    UFRGS   /    Porto Alegre   /    Caxias do Sul   /    Educação

Comentários

Comentar