Internacional

XENOFOBIA NA EUROPA

Construído um novo muro contra os refugiados em Munique

Erguido um muro na cidade de Munique para separar um distrito residencial de um centro de refugiados. Uma ‘fortificação’, mas que se soma aos tantos muros e valas racistas da Europa.

segunda-feira 14 de novembro| Edição do dia

Foto: Construção de um lar para refugiados e um muro em Munique, EFE / Sven Hoppe

Como se não fora suficiente todas as valas e muros que blindam as fronteiras europeias, parece que agora também vai ser necessário encouraçar as cidades internamente contra os ‘perigosos refugiados’.

Isto é, em Munique já se começou a edificar uma estrutura de concreto de 4 metros de altura – mais alto que o velho muro de Berlin – para separar o distrito residencial de Neuperlach de um novo albergue para refugiados que vai se situar a uns 100 metros. Se prevê que o centro acolhera cerca de 160 refugiados menos não acompanhados a partir da primavera do próximo ano.

A desculpa para sua construção é evitar a ‘contaminação acústica’ que possam gerar as crianças e adolescentes que irão se alojar na zona. Tão ridículo assim é o argumento da prefeitura local para acabar cedendo às demandas de somente sete vizinhos de um distritos de 55.000 habitantes.

A realidade é que esta medida se aplica, simplesmente, como uma ferramenta a mais de exclusão contra os imigrantes e refugiados. Há muitos anos, tanto em Munique como na Alemanha no geral, se mantém os imigrantes amontoados em péssimas condições em supostos ‘centros de ajuda’. Ao mesmo momento que se utiliza a atual chegada de refugiados como mão de obra barata e se deportam massivamente a outros tantos.

Estas medidas são as que correspondem às políticas de Merkel, que longe de seu falso discurso de ‘portas abertas’ que teve no início, alimentam cada vez com mais força os crescentes movimentos xenófobos e de extrema direita do país.

Mais valas e muros na ‘Europa fortaleza’.

É vergonhoso ver como nos últimos anos a União Europeia que se vendia hipocritamente com o lema de ‘Refugees Welcome’, foi erguendo a um ritmo acelerado enormes muros, valas e alambrados em suas fronteiras.

Há muros e valas na Grécia nos limites com a Turquia, na Hungria em várias de suas bordas, assim como em outros países dos Balcãs, na França frente ao Reino Unido com o novo muro de Calais. Ou as mortíferas valas e alambrados dos enclaves coloniais espanhóis de Celta e Melilla, as quais se converteram em fonte de inspiração para as políticas migratórias europeias atuais.

Também podemos presenciar brutais cenas de repressão contra imigrantes, o desalojo forçado de vários campos de refugiados, assim como deportações massivas, juntos ao criminoso pacto da União Europeia com a Turquia.

Enquanto isso, dia após dia são milhares de pessoas as que seguem morrendo tentando chegar à Europa, porque ante a possibilidade do cerco e blindagem das fronteiras, só lhes resta optar pelas rotas mais perigosas e mortíferas do Mediterrâneo.

Esta é a Europa atual fortificada por enormes muros contra imigrantes e refugiados, estruturas que se erguem já a mais de 1200km ao redor do continente. Para se uma ideia, esta distancia corresponde a 40% da fronteira entre EUA e México, e do polemico muro que, agora, Donald Trump quer ampliar.

Assim vemos como perigoso discurso e as medidas racistas propostas pelo magnata e novo presidente eleito estadunidense que para nada se distanciam das políticas xenófobas europeias.

Tradução: Raphael Mouro




Tópicos relacionados

Refugiados   /    Internacional

Comentários

Comentar