Política

PARTIDO JUDICIÁRIO E GOLPE

Conheça as críticas ao autoritarismo e golpismo da lava jato e do judiciário brasileiro

quinta-feira 5 de abril| Edição do dia

A decisão de 6 ministros do STF negando Habeas Corpus, e a decretação da prisão de Lula pelo juiz Sérgio Moro na tarde desta quinta-feira (05/04) são fatos políticos de tamanha dimensão, que devem nos colocar a refletir e a analisar o que está por trás desta casta de privilegiados do judiciário, que não são eleitos pelo povo, mas que por conta própria decidem quem deve ser julgado e punido por suas convicções, e quem deve ter seus processos arquivados, e se propõem a interferir diretamente nas eleições, prendendo um pré-candidato por cima do direito do povo decidir em quem votar.

O judiciário brasileiro vem se alçando nos últimos anos como importante instrumento de ataques aos trabalhadores em meio à crise. Apesar de buscar uma pretensa imagem técnica de neutralidade, como se estivesse fora do jogo político, acima dos interesses econômicos, atua na realidade como um partido a serviço dos interesses imperialistas, com métodos arbitrários, escutas irregulares, vazamentos programados à imprensa, punições seletivas com "tempo político" pensado.

Entenda um pouco mais sobre o que está por trás do judiciário brasileiro através das análises no arquivo do Esquerda Diário:

Um julgamento para cada réu, o STF brasileiro como a cara da arbitrariedade e do golpe
Correu o mundo a notícia da negativa do STF brasileiro em conceder habeas corpus a Lula, autorizando a prisão do líder nas pesquisas de sucessão presidencial. A decisão de ontem pontua mais um episódio de climax em uma série que coloca no chinelo o melhor de House of Cards em chicana e arbitrariedade para atender a interesses políticos, econômicos e pessoais. Mas o processo como um todo vai muito além das habilidades de seus atores, ele mostra a crescente divisão do Supremo como parte da polarização social e política do país, e como este atua, em meio a esta divisão como uma alavanca crucial no golpe institucional.

Wikileaks: EUA criou curso para treinar Moro e juristas
Em documento interno do governo americano que foi vazado pelo Wikileaks, os EUA mostram como treinaram agentes judiciais brasileiros, entre eles Sérgio Moro. O documento, de 2009, pede para instalar treinamento aprofundado em Curitiba. Alguma suspeita com a atualidade?

Departamento de Justiça dos EUA: relação com a Lava Jato é histórica e acima da lei
Nos últimos dias ficaram conhecidos alguns discursos de Kenneth Blanco, ex-vice procurador geral dos EUA. Em dois discursos emblemáticos sobre os bons resultados de sua administração ele enumera entre as principais conquistas a relação com o Brasil e seu impacto mundial. Com toda sinceridade admite operar além do marco legal junto a seus colegas do Brasil.

Lava Jato: por trás de Moro e da grande mídia se escondem alguns dos ’donos do mundo’
O juiz Sérgio Moro, que conduz as investigações da Lava Jato e um herói para a revista Veja, divulga, a seu bel-prazer, pedaços das delações premiadas e outros aspectos da investigação. A grande mídia do país recebe os pedaços das informações, os guarda e usa como quer. A transparência e a verdade para conhecimento de todos os brasileiros, neste que é o maior caso de corrupção conhecido na história do país, são a última das preocupações, tanto de Moro, como do STF, como da mídia burguesa. Publicamos a seguir alguns dos primeiros resultados a partir da leitura dos textos das delações e não somente o que a mídia burguesa ou petista nos permitem saber.

7 coisas que todo brasileiro deveria saber sobre Moro e a Lava Jato
Veja 7 ideias sobre Moro, a Lava Jato e o judiciário brasileiro que seguramente não lerá na Veja.

Deltan Dallagnol, da Lava Jato, enriquece com benefícios e auxílios da casta Judiciária
O coordenador da Força Tarefa da Operação Lava Jato no MPF recebe quase R$ 7.000 em benefícios por mês; incluindo R$ 4.377,73 em auxilio moradia, apesar de ter casa própria.

Sérgio Moro e procuradores da Lava Jato lucram milhões com delações premiadas
O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância, homologou os acordos de delação premiada dos empresários Vinícius Veiga Borin, Luiz Augusto França e Marco Pereira de Sousa Bilinski. O que isso tem a ver com os negócios milionários que enriquecem a equipe da Lava Jato?

Operação italiana que inspira Lava Jato serviu na política mas não contra a corrupção, dizem juízes
Operação que inspirou Lava Jato mudou a política da Itália mas não a corrupção, revelam envolvidos juízes da "Mãos Limpas" em entrevista ao Estadão.




Tópicos relacionados

Julgamento de Lula   /    golpe   /    Operação Lava-Jato   /    Golpe institucional   /    Sérgio Moro   /    "Partido Judiciário"   /    Operação PF contra Lula   /    Investigando a Operação Lava-Jato   /    Lula   /    Poder Judiciário   /    Política

Comentários

Comentar