Política

CONGRESSO DO PSOL

Congresso do PSOL nega entrada do MRT

No último fim de semana reuniu-se o Congresso do PSOL e um dos temas debatidos foi a entrada de organizações políticas que pediram ingresso no partido.

sexta-feira 11 de dezembro de 2015| Edição do dia

No último fim de semana reuniu-se o Congresso do PSOL e um dos temas debatidos foi a entrada de organizações políticas que pediram ingresso no partido. Vale ressaltar que alguns indivíduos oriundos de partidos burgueses, como Glauber Braga (PSB) e Brizola Neto (PDT) não necessitaram passar por tal ritual tendo sido abraçados de bate pronto pela direção do PSOL.

O Esquerda Diário apurou a informação (em base a publicações no Facebook, pois até agora não houve nenhuma nota oficial, questão que solicitamos que seja feita) de que a entrada da Esquerda Marxista (PT) foi remetida a decisão do Diretório Nacional do PSOL, enquanto a entrada do MRT, organização irmã do PTS de Nicolas Del Caño na Argentina e impulsionadora do Esquerda Diário no Brasil, foi negada pela maioria das correntes.

Com esta decisão, ao mesmo tempo em que aprofunda sua aliança com setores do PT, seja na defesa mútua de uma Constituinte Exclusiva pela reforma política, o PSOL acaba consumando seu abandono a um papel independente em meio à crise brasileira. Isso porque para um partido que se diz socialista ao mesmo tempo em que dão cheque em branco para políticos advindos de partidos burgueses fecham as portas para os revolucionários. Mesmo o grupo Esquerda Marxista (advindo do PT) terá sua entrada votada no Diretório Nacional, previamente defendido pelo MES de Luciana Genro em sua última minuta. Como já foi muito bem pontuado, trata-se de uma orientação que significa ser generoso com os oportunistas e duro com os revolucionários.

Esta decisão é também um recado para amplos setores de trabalhadores e jovens de todo o país de que as posições revolucionárias não serão toleradas dentro do partido, afinal, fica mais do que evidente que a negativa frontal à entrada do MRT está diretamente vinculada a nossas críticas a este giro que o partido vem dando de maneira desenfreada de alianças com o petismo, justo num momento em que a direita quer capitalizar a enorme insatisfação com o governo Dilma.

Ao mesmo tempo chamamos todos que não concordam com esta decisão a conhecer as idéias do MRT que continuaremos defendendo, chamamos a que todos os setores que se reivindicam democráticos e defendem o direito dos revolucionários lutarem por suas idéias a rechaçar a posição do Congresso do PSOL. O MRT continuará defendendo o conjunto de suas propostas, com o Esquerda Diário como instrumento prioritário, na luta por construir uma verdadeira alternativa classista e independente dos trabalhadores no Brasil e internacionalmente, que só pode ser um partido revolucionário enraizado nos sindicatos e na classe operária para lutar pela revolução operária e socialista.




Tópicos relacionados

Política

Comentários

Comentar