Política

ATUALIDADE

Congresso: Balearam o deputado argentino Héctor Olivares e mataram o funcionário Miguel Yadon

Os disparos vieram de um carro que os esperavam quando caminhavam pela Praça Congresso na capital da Argentina. Aconteceu por volta das 7h da manhã. Yadon, funcionário riojano, faleceu no local. Olivares, deputado nacional da UCR La Rioja, está no hospital Ramos Mejía.

sexta-feira 10 de maio| Edição do dia

O falecido Miguel Marcelo Yadón era coordenador do Fundo Administrativo do Transporte Elétrico de La Rioja. Segundo a informação do subdiretor do Hospital Ramos Mejía, Juan Pablo Rossini, no laudo médico emitido perto das 13h, Yadón chegou sem vida ao hospital e seu corpo tem ao menos quatro tiros de arma de fogo.

Olivares é produtor de azeitonas, deputado nacional pela La Rioja do Cambiemos e, por sua vez, presidente do Comitê Provincial UCR La Rioja. Rossini informou que, após ser operado para reparar os órgãos lesionados, o deputado se encontra em terapia intensiva e seu estado é crítico, correndo risco de morte. “Seu estado geral é muito grave por causa da instabilidade hemodinâmica e a alta necessidade de drogas inotrópicas e vasoativas para manter suas funções vitais” afirmou o médico.

O doutor Rossini também informou que Olivares deu entrada no hospital às 7h15 com um ferimento de arma de fogo, em seguida, viu que a bala entrou pela lateral esquerda do abdômen e não ficou alojada no corpo, saiu pela lateral direita. Em seu trajeto, a bala lesionou órgãos vitais, como o fígado, intestino grosso, pâncreas e vias biliares, os quais foram reparados na “cirurgia de resgate para evitar a morte do paciente”. Às próximas 24h são muito importantes no que diz respeito à evolução do deputado.

Segundo a fonte da polícia, às 6h51 da manhã, Olivares foi baleado por um “agressor desconhecido” na esquina do Congresso na rua Rivadavia 1.600, entre Rodrígues Peña e Montevideo, em frente à Praça do Congresso.

O atirado esperava-os em um Volksvagem Vento cinza (já identificado) e disparou várias vezes com uma pistola calibre 40 (segundo peritos as Superintendência da Polícia Cientifica da Polícia Federal) quando Olivares e Yadón caminhavam por ele. Segundo diversas fontes, a quantidade de disparos efetuados foi entre dois e treze.

Miguel Marcelo Yadón, 58 anos, coordenador do Fundo Administrativo de Transporte Elétrico Federal da província de La Rioja, acompanhava o deputado e também recebeu um tiro no abdômen, segundo fontes policiais, e morreu na hora.

Segundo as mesmas fontes, o ataque não foi um roubo casual, mas “um ataque assassino”. As inúmeras câmeras de segurança devem mostrar todos os detalhes.

“Condenamos o grave atentado contra o deputado Olivares. Exigimos urgente investigação e esclarecimento desse lamentável fato.”

“O assassinato de Miguel Yadón não pode ficar impune. Nossas condolências a sua família, amigos e companheiros.”, declarou o deputado nacional Nicolás del Caño do PTS-FIT.

Um dos primeiros dados a ser investigado é se o objetivo do ataque estava concentrado em Olivares, em Yadón ou em ambos. Vale dizer que tanto um quanto o outro são empresários e funcionários ligados a muitas áreas sensíveis da economia e de serviços.

A causa do homicídio ficou a cargo da fiscal Estela Gloria Andrades, titular da Fiscalização Nacional no Criminal e Correcional nº 40.

Veja aqui a declaração da deputada Myrian Bregman do PTS:

"Condenamos o atentado ao deputado Olivares e o assassinado de seu assessor. É um fato de extrema gravidade. Não pode ficar impune. Exigimos urgentemente um esclarecimento dos fatos.
Nossas condolências à família de Miguel Yadón."




Tópicos relacionados

atentado   /    Argentina   /    Política

Comentários

Comentar