Mundo Operário

MUNDO OPERÁRIO

Confiando nos "novos" políticos patrões, quem vai pagar o pato somos nós trabalhadores

Multiplica o número de desempregados do nosso lado e aumenta o número de milionários do lado deles. Vamos virar esse jogo, pois votando em patrões e acreditando nas suas lorotas que eles também estão sofrendo com a crise, quem está pagando o pato somos nós trabalhadores.

segunda-feira 28 de novembro| Edição do dia

Não podemos deixar que o discurso de pagar o pato seja uma armadilha dos patrões para que nós trabalhadores paguemos o pato como vem ocorrendo no nosso país, com um enorme pacote de maldade. São inúmeros os ataques que os patrões vêm aplicando e pretendem continuar a aplicar na classe trabalhadora.

Os patrões brasileiros depois de anos com seus lucros exorbitantes e em lua de mel com o governo do PT nunca repartiram o bolo de sua riqueza com a classe trabalhadora, mostrando que não existe e nunca existiu conciliação verdadeira entre patrão e empregado. Agora que a crise econômica explodiu no país, os patrões derrubaram o governo do PT junto com a direita tradicional PSDB, PMDB entre outros, para atacar ainda mais pesado os trabalhadores de todo país.

Afinal com a crise eles precisam ainda mais tirar nossos direitos para manter suas enormes taxas de lucros, elaborando leis que visam retirar as nossas conquistas como férias, décimo terceiro, rescisão de contrato, rebaixamento de salários, aumento de carga horária entre outros ataques.

Agora, surfando na onda da falta de legitimidade dos políticos brasileiros os empresários colocaram as manguinhas de fora e resolveram diretamente se lançar na política com um discurso falso de anticorrupção e anti-política, dizendo não serem políticos profissionais e prometendo trazer ética e moralidade. Um discurso mais falso que nota de três reais, pois foram esses mesmos empresários que durante anos financiaram com enormes quantias os políticos e campanhas eleitorais desse país, sendo parte da engrenagem corrupta da política brasileira.

Veja o exemplo de Kallil em Belo Horizonte, que foi eleito mesmo sendo acusado de um calote milionário aos trabalhadores de suas empreiteiras. O trabalhador não pode se deixar enganar, pois se esse patrão deu calote em seus empregados e governa para os seus amigos empreiteiros, nunca terá olhos para o interesse da classe trabalhadora.

Mesmo caso é o do milionário e extravagante Dória que promete privatizar tudo em SP para interesse dos seus colegas patrões que já esperam ansiosos pela partilha do bem público, que será revertido para engordar suas gordas contas bancárias, enquanto para nós trabalhadores restarão serviços precários e a péssima condição de vida que oferecem as metrópoles brasileiras.

Por isso não devemos confiar nos patrões que querem enriquecer as nossas custas, com a comprovação de que não existe condição de crescermos juntos, o que está provado com a quebra da lua de mel entre PT e os empresários. Nós trabalhadores devemos resgatar nossos instrumentos para ação.

Recuperar os sindicatos dos conchavos com os empresários e governos, recuperá-los da paralisia contra os ataques retomando e construindo uma verdadeira democracia operária, baseada em assembleias de verdade, comissões de fábrica e assim enfrentarmos os patrões. Construir um partido operário, dessa vez que não seja para praticar a conciliação como os empresários como o PT, mas um partido revolucionário, para juntos resistimos aos milhares de ataques que os patrões pretendem jogar nas nossas costas. Multiplica o número de desempregados do nosso lado e aumenta o número de milionários do lado deles. Vamos virar esse jogo, pois votando em patrões e acreditando nas suas lorotas que eles também estão sofrendo com a crise, quem está pagando o pato somos nós trabalhadores.




Tópicos relacionados

Contagem   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar