Internacional

ESQUERDA/DEBATES

Conclusões da conferência nacional do Partido de Trabalhadores Revolucionários

Nos dias 12,13 e 14 de maio, aconteceu a ll conferência do Partido de Trabalhadores Revolucionários (PTR), organização anticapitalista e de esquerda, presente em diversas regiões do Chile e que participa ativamente nas lutas sindicais, estudantis e pelo direito das mulheres. Uma de suas resoluções centrais foi impulsionar campanhas políticas em todo o Chile, como também candidaturas anticapitalistas em Santiago e Antofagasta, na perspectiva de construção de um grande partido revolucionário de trabalhadores.

quinta-feira 18 de maio| Edição do dia

No último final de semana, com delegados representando várias partes do país, ocorreu a ll Conferência do Partido de Trabalhadores Revolucionários (PTR), organização irmã do MRT no Chile. De Arica, Antofagasta, Valparaíso, Temuco, Puerto Montt e Santiago, reuniram-se dezenas de delegados para discutir e pensar sobre a situação chilena e o contexto internacional, também sobre as tarefas dos revolucionários em um mundo cada vez mais turbulento e uma etapa nacional das mais complicadas das últimas décadas.

Manifestaram-se diversos trabalhos sindicais e estudantis, com a presença de operários do movimento operário industrial e do setor de mineração, professores, trabalhadores da saúde, de correios e do comércio, que lutam em seus locais de trabalho por uma organização democrática e combativa dos trabalhadores, com o objetivo de construir uma alternativa independente aos patrões e ao governo capitalista. Também estudantes das principais universidades do país, como Bárbara Brito, vice presidenta da Federação de Estudantes do Chile, que lutam pelo direito a educação gratuita enfrentando a reforma neoliberal da Nova Maioria, de direita, que visa apenas os lucros; e dezenas de mulheres feministas e socialistas que lutam contra a violência machista e contra toda forma de opressão e exploração.

Participou uma delegação da Fração Trotskista pela reconstrução da Quarta Internacional, responsável pela rede internacional Esquerda Diário, mídia digital e impressa em cinco idiomas e que está em 11 países, que vem se transformando em uma importante tribuna diária para apresentar as idéias socialistas com uma audiência de milhões de visitas mensais na América Latina, Europa e Estados Unidos. Esteve presente Claudia Cinatti, da direção nacional do Partido de Trabalhadores Socialista (PTS), da Argentina, que vem dando uma luta desde a Frente de Esquerda dos Trabalhadores (FIT na sigla em espanhol) como uma alternativa política socialista para enfrentar os ataques do governo Macri de forma independente ao peronismo. Também participou Marcelo Tupinambá, do Movimento Revolucionário de Trabalhadores (MRT), do Brasil, que esteve presente na greve geral do dia 28 de Abril, marcada por centenas de piquetes e cortes de rodovia contra os ataques do governo golpista de Temer, mobilização histórica da classe trabalhadora, sendo a mais importante das últimas duas décadas.

Bárbara Brito, vice presidenta da Federação de Estudantes da Universidade do Chile (FECH), junto a companheiros e companheiras que são referências sindicais e da luta pelo direito das mulheres, fizeram parte da mesa honorária da conferência. Foram votados por aclamação; a luta pelo direito das mulheres de todo o mundo contra a violência machista em aliança com a classe trabalhadora; os trabalhadores brasileiros na luta contra os ajustes de Temer e que realizaram uma grande greve geral em 28 de abril; os povos oprimidos do mundo frente ao imperialismo; e os operários e camponeses que há quase 100 anos atrás levaram adiante a Revolução Russa.

Apresentamos (em espanhol) a continuação das principais conclusões de três dias de debate, reflexão e discussões, com as quais o Partido de Trabalhadores Revolucionários (PTR) se prepara para converter-se em uma força anticapitalista e dos trabalhadores em uma nova etapa política nacional e internacional.

- Un convulsivo escenario mundial y las tareas de los internacionalistas

- Una desafiante situación política para la construcción de un partido revolucionario de la clase trabajadora

- Nuestra vida vale más que sus ganancias: dos campañas contra el Chile de los capitalistas

- "Presentaremos candidaturas anticapitalistas de trabajadores, jóvenes y mujeres para enfrentar a empresarios, Chile Vamos y Nueva Mayoría"

- Vicepresidenta FECH: “Buscamos llevar las ideas anticapitalistas a cientos de miles y construir un gran partido revolucionario”

Tradução: Alexandre Tubman




Tópicos relacionados

Internacional

Comentários

Comentar