Mundo Operário

REFORMA TRABALHISTA E TERCEIRIZAÇÃO

Companhia aérea LATAM demite aeroviários do Rio seguindo cartilha da Reforma Trabalhista

Informações do SNA – Sindicato Nacional do Aeroviários – revelam denúncias de funcionários onde a maior companhia aérea brasileira começou a impor regime de ataques aos trabalhadores e demitindo dezenas de profissionais do aeroporto do Galeão, o maior do Rio de Janeiro, além de outras bases pelo país.

segunda-feira 16 de abril| Edição do dia

Segundo o SNA, na manhã desta segunda feira, 16, a LATAM demitiu mais de 20 funcionários de diversos setores que operam no aeroporto GIG – Galeão. A maioria é dos setores mais precarizados como operadores de equipamento e auxiliares de rampa – trabalhadores responsáveis pelo carregamento e descarregamento de cargas e bagagens.

Ainda segundo o sindicato, demissões também ocorrem em outras bases pelo país, como em Palmas (TO) onde foram desligados vários trabalhadores do check-in, rampa e cargas.

Há informações de outros trabalhadores do Galeão que a empresa já vinha aplicando, há algumas semanas, um plano de demissões voluntárias onde a baixa adesão teria motivado a imposição das demissões, e que esse plano faz parte do projeto de terceirização das operações e a consequente redução do numero de trabalhadores efetivos.

Embora a empresa alegue que as demissões sejam frutos da “redução de malhas dos voos”, chama atenção que há alguns meses o ED tenha recebido denuncias de aeroviários de Brasília e São Paulo relatando também o crescimento desenfreado do processo de terceirização onde a empresa já estaria adotando a “substituição” na operação de rampa, demitindo funcionários efetivos visando novos contratos com empresas terceirizadas com mão de obra mais barato e com menos direitos e benefícios.

Estes ataques aos trabalhadores da aviação é parte da Reforma Trabalhista e da nova lei de terceirização, interligados e formulados para que os patrões pelo Brasil já começassem a aplicar tão logo o congresso recheado de corruptos e golpistas aprovasse. O presidente Temer e seus comparsas do congresso estão fazendo exatamente o que a sede das patronais exigiam: aumentar a taxa de lucros deles, enquanto demitem e retiram direitos em busca de uma maior exploração, como a diminuição de folgas, que comprometem a própria segurança dos voos, já que a operação conta com profissionais cada vez mais estafados.

É necessário que os trabalhadores se organizem para resistir às demissões buscando na própria classe as forças para impedir as demissões que ainda estão por vir e lutar para reverter as que foram impostas. Os sindicatos, por sua vez, devem organizar assembleias e manifestações para explicitar a gravidade da situação para toda a categoria buscando mobilizar os trabalhadores para resistir efetivamente aos ataques contra seus direitos.




Tópicos relacionados

Reforma Trabalhista   /    Demissões   /    Terceirização   /    Rio de Janeiro   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar