Mundo Operário

PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO

“Como está o pedido?”: esta é a resposta de uma empresa à um entregador ao ser atropelado

“Como se encontra o pedido”. Essa foi a resposta que um entregador, ao ser atropelado por um carro e avisar a pizzaria para a qual estava trabalhando, recebeu. O caso foi denunciado pela jornalista Yanina Otero, que testemunhou o acontecido e o tuitou, viralizando a notícia rapidamente.

segunda-feira 29 de julho| Edição do dia

“Como se encontra o pedido”. Essa foi a única resposta que recebeu um entregador de pizza ao avisar a empresa do acidente que sofreu enquanto trabalhava.

O caso viralizou quando a jornalista Yanina Otero contou no Twitter ter socorrido o trabalhador depois de ser atropelado por um carro. “Enquanto o chamava a Samu, o homem –atirado no chão e sangrando- avisava ao app que havia ocorrido um acidente. A única coisa que importava a eles era o estado da pizza”, contou.

Tal como se le na imagem compartilhada por Otero, ao dar o aviso e persistir em afirmar que não podia se movimentar para entregar o pedido, esta apenas se preocupou com o estado do envio.

“Não há palavras para descrever isso. Falam de liberdade, mas isso é escravidão trabalhista! Temos que dar a volta por cima!” afirmou Nicolás del Caño, candidato a presidente da Argentina pelo PTS, organização irmã do MRT.

Essa é uma realidade que atravessa mais de um milhão e duzentos mil jovens na Argentina. Trabalhadores e trabalhadoras que são arrastados todos os dias

ao mundo do emprego sem carteira assinada, sem direitos, sem sindicato, nas piores condições, como se fossem material descartável.




Comentários

Comentar