Mundo Operário

GREVE GERAL

Comitê Regional do ABC reafirma Greve Geral e vai exigir das centrais sindicais paralisação efetiva

Neste domingo (25), o Comitê Regional contra as reformas e pela Greve Geral do ABC se reuniu novamente para debater uma avaliação da construção da greve geral, sobre as panfletagens realizadas na últimas semanas pelas cidades e a reunião das centrais sindicais ocorrida na última sexta-feira.

domingo 25 de junho| Edição do dia

Partindo de grande receptividade dos trabalhadores e jovens da região, foi informado a construção da greve geral na UFABC, onde os estudantes em assembleia na última quinta-feira acompanharam os trabalhadores que tiveram assembléia na terça-feira onde aprovaram a adesão a greve geral. Veja o vídeo abaixo dos trabalhadores e membros do SintUFABC:

A maioria das intervenções foram críticas a postura das centrais sindicais que se mostraram durante a última semana que recuaram da construção da greve geral e a diluirão numa "jornada de luta". Dezenas de fabricas da região ainda seguem sem assembleias ou plenárias de preparação e isso irá custar um preço para a luta de toda a classe trabalhadora. Enquanto isso a mídia oficial se aproveita dessa vacilação para tentar desmoralizar a luta dos trabalhadores. O Comitê Regional aprovou a ida de representantes na reunião da CUT amanhã para levar propostas como a paralisação da VolksWagen e um ato radicalizado na Av Anchieta assim como a exigência a uma convocação e preparação real da greve geral em todas as categorias. Também foi debatido criticamente a postura, que são seguidas infelizmente por alguns grupos de esquerda, de sequestrar a luta contra as reformas para "Diretas Já", como se expressou recentemente noCongresso da UNE e agora é defendida por FHC.

Vejam algumas das intervenções da reunião:

Virgínia Guitzel, do Movimento Revolucionário de Trabalhadores

Jenifer Tristan da Juventude Faísca

Luiz Fernando, estudante da Faculdade de Serviço Social de São Caetano do Sul (FAPSS)

Após uma rodada de intervenções de avaliações, o Comitê Regional concluiu que há um grande espaço para a construção da greve geral e que a população sente ódio contra as reformas, mas que é necessário reforçar a exigência às centrais sindicais a ter uma paralisação efetiva. Foi debatido sobre a situação da fábrica Brigestone (antiga Firestone), onde a ausência do sindicato dirigido pela Força Sindical provoca muita insatisfação já que os ataques patronais seguem acontecendo, e com as reformas vão se multiplicar.

Por isso nós do MRT defendemos que víamos uma grande oportunidade para a CSP Conlutas e a Intersindical, ao PSOL da região e também os movimentos contra a opressão no ABC de se colocar como uma verdadeira oposição as direções burocráticas que estão preparando a traição. Como é visto no centro da cidade, nos terminais, nos postes e próximas as fabricas, batalhamos pela campanha com centenas de lambes, adesivos, panfletos chegando a centenas de trabalhadores de "Tomar a Greve Geral nas nossas mãos" justamente para incentivar a construção de comitês regionais de milhares de trabalhadores que possam debater profundamente as saídas para a crise política e econômica, começando a derrubar as reformas e Temer de vez. Se nos colocamos em ação a solidariedade de diversas categorias para que as industrias da região voltem a colocar-se nas ruas, com ações e enfrentamento patronal ombro a ombro efetivos e terceirizados podemos construir um passo à frente neste dia 30, e não apenas seguir pra trás da burocracia que quer paralisar nossa luta e manter seu controle sobre os trabalhadores.

O Comitê decidiu apoiar todas as iniciativas de atos regionais, piquetes e ações da classe trabalhadora neste próximo dia 30 e a participação no ato da Av Paulista à tarde. Marcaram-se novas panfletagens para esta semana e uma próxima reunião deste comitê dia 03.07 às 19hrs na APEOESP subsede de Santo André.




Tópicos relacionados

Mundo Operário

Comentários

Comentar