Educação

EDUCAÇÃO

Comissão de Educação rejeita projeto do Escola Sem Partido em SP

Diana Assunção

São Paulo | @dianaassuncaoED

quarta-feira 17 de agosto| Edição do dia

A Comissão de Educação da Assembleia Legislativa de São Paulo (ALESP) votou ontem o rechaço a dois projetos de lei que da chamada “Escola Sem Partido”, ou “Lei da Mordaça”. Os projetos do PSD e PSDB trazem o mesmo texto, do grupo que conta com membros como Alexandre Frota, estuprador recebido pelo Ministro da Educação golpista para apresentar o projeto.

Querem impor a censura, alegando que deve ser proibida a “doutrinação de esquerda”. Querem um partido único, apenas com as opiniões do projeto educacional e apostilas dos governos, que, como qualquer conhecimento, não são “neutros”. O fato é que depois da onda de ocupações dos secundaristas em diversos estados contra os ataques dos governos, os direitistas ficaram com medo que essa luta se generalize e coloque em cheque seus planos para a educação.

A votação de ontem na Comissão de Educação, bem como o pronunciamento feito pelo Ministério Público Federal alegando que o Escola Sem Partido é inconstitucional, não são suficientes para deter o projeto, que está em 19 estados e, aqui em São Paulo, seguirá para votação no plenário da ALESP. Nós temos feito uma campanha com aulas protesto por meio do Esquerda Diário, e sabemos que a única forma de barrar essa lei reacionária é com a mobilização e luta dos estudantes, professores, famílias, e todos aqueles que defendem um ensino crítico, capaz de ajudar os jovens dessa geração a se preparar para pensar o mundo e lutar por seus direitos.




Tópicos relacionados

Educação   /    São Paulo (capital)

Comentários

Comentar