DESEMPREGO E REFORMA TRABALHISTA

Comércio e indústria demitiram mais de 40 mil trabalhadores de carteira assinada em junho

Contrariando as falsas propagandas que Temer faz sobre a Reforma Trabalhista, dados do Ministério do Trabalho mostram que só em junho 40 mil trabalhadores de carteira assinada foram demitidos. O avanço da precarização dos postos e contratos de trabalho ainda mais duros com a reforma trabalhista.

sexta-feira 20 de julho| Edição do dia

Em novembro de 2017 foi aprovada a reforma Trabalhista de Temer, um verdadeiro conjunto de ataques contra os trabalhadores e seus direitos, que vem mostrando sua cara em poucos meses com salários mais precários, acordos coletivos travados na justiça e diminuição de processos trabalhistas, uma vez que com a reforma, o trabalhador terá que pagar todos os custos do processo e indenização para o patrão.

Ao contrário do que tenta mostrar as propagandas de Temer sobre a reforma, como uma "modernização" e que ela teria melhorado a situação de desemprego que os brasileiros enfrentam, dados do Ministério do Trabalho mostram a verdadeira face dessa cruel reforma, que beneficia os patrões descarregando nos trabalhadores a conta da crise: o comércio e a indústria de transformação lideraram a destruição de empregos no mercado de trabalho no mês de junho. Juntos, os dois setores demitiram 41.441 pessoas com carteira assinada no mês passado.

Já a indústria de transformação perdeu 20.470 empregos em junho. Dos 12 ramos industriais acompanhados pelo Ministério do Trabalho, 11 tiveram demissões. Os piores resultados foram registrados na indústria têxtil (-6.169 empregos), metalurgia (-3.427) e calçados (-3.334).

A reforma trabalhista aprovada por Temer, com apoio de parlamentares, do judiciário e dos patrões busca descarregar nas costas da população brasileira a crise, jogando ainda mais trabalhadores para condições de trabalho precárias, com contratos intermitentes, salários mais baixos e demissões cada vez mais frequentes.




Tópicos relacionados

Reforma Trabalhista   /    Desemprego   /    Indústria

Comentários

Comentar