Cultura

CINEMA AFRICANO

Começa mostra de cinema "África(s): Cinema e Revolução"

sexta-feira 11 de novembro| Edição do dia

Nesta quinta-feira, dia 10/11, iniciou-se em São Paulo a mostra de cinema Africa(s): Cinema e Revolução, onde serão exibidos filmes sobre os processos de libertação nacional de Moçambique, Angola e Guiné-Bissau.

Segundo a curadora da mostra Lúcia Monteiro, pesquisadora na área de cinema, a intenção que norteia o evento é expor a relação do cinema produzido nos referidos países pós-processo de libertação, com o cinema brasileiro (em alguns casos a relação com o cinema brasileiro é muito forte, como no caso moçambicano).

No primeiro dia da Mostra duas seções foram exibidas. O filme "Assim estamos livres. Cinema moçambicano 1975-2010" e "Kuxa Kanema. O nascimento do cinema", onde se conectam pelo tema da história do cinema moçambicano, podendo ser dividido em três períodos: um inicial, no momento posterior da derrota das tropas portuguesas, proclamação da independência de moçambique em 1975 e criação de uma agencia estatal de cinema, onde os elementos de paixão social e exaltação da revolução se destacam (incentivados por uma política de estado); e em um segundo momento durante a guerra civil, onde se denuncia a intervenção da África do Sul e as duras condições de guerra. E, por último, um cinema pós-restauração capitalista no conjunto do globo, feito de forma independente ao estado, subsidiado por fundos internacionais.

Na segunda seção foi exibido "25", primeiro filme moçambicano, dirigido pelo brasileiro Celso Lucas, onde é tratado o processo de revolução dirigido pela FRELIMO (Frente de Libertação Moçambicano) e os primeiros anos pós-proclamação da independência. Ao final da seção foi realizado um breve debate com o diretor do filme, Celso Luccas.

A mostra seguirá no fim de semana, até dia 23/11 (quarta-feira), no Cine Belas Artes, em São Paulo, na Av. Consolação, 2423, ao lado do Metrô Paulista. Divulgamos abaixo a programação, mas saiba mais sobre a Mostra no site oficial neste link

10/11, quinta-feira
16h00 – HISTÓRIA DO CINEMA MOÇAMBICANO: Assim estamos livres. Cinema moçambicano 1975-2010 (16’) + Kuxa Kanema. O nascimento do cinema (52’).
18h00 – CINEMA MOÇAMBICANO, CINEASTAS ESTRANGEIROS I (Teatro Oficina em Moçambique): 25 (140’). Com a presença de Celso Luccas + recepção de abertura.

11/11, sexta-feira
16h00 – RUY GUERRA I: Operação Búfalo (25’) + Um povo nunca morre (17’) + Os comprometidos – actas de um processo de descolonização (42’). Com a presença da historiadora Vavy Pacheco Borges.
18h30 – MEMÓRIA COLONIAL: Avó (Miudumbe) (11’) + Nshajo (O jogo) (8’) + Redenção (27’). Com a presença da cineasta Raquel Schefer.

12/11, sábado
14h00 – OFICINA MEMÓRIA E AUDIOVISUAL I: Filmes de segunda mão, ou a reapropriação de arquivos familiares, com Raquel Schefer. Na CAIXA Cultural.
16h00 – MULHER, CINEMA E REVOLUÇÃO I: Yvone Kane (118’).
18h30 – LUTA E MEMÓRIA I (Guiné-Bissau): Tudo bem, tudo bem, vamos continuar (31’) + Morte negada (85’). Com a presença do cineasta Mathieu Kleyebe Abonnenc.
23h30 – MEMÓRIA E RACISMO: Empoderadas – Ana Koteban (5’) + Tabu (118’).

13/11, domingo
16h00 – LUTA E MEMÓRIA II (Angola): Um filme italiano. África, adeus! (27’) + Prefácio a Fuzis para Banta (25’) + Monangambee (15’). Com a presença do cineasta Mathieu Kleyebe Abonnenc e da pesquisadora Emi Koide.
18h30 – LUTA E MEMÓRIA III (Guiné-Bissau): Xime (95’).

14/11, segunda-feira
16h00 – LUTA E MEMÓRIA IV (Moçambique): O vento sopra do norte (90’).
18h00 – CINEMA MOÇAMBICANO, CINEASTAS ESTRANGEIROS II (Jean Rouch e Murilo Salles): Makwayela (19’) + Estas são as armas (60’).
20h00 – CURTAS DE SANTIAGO ÁLVAREZ E DO ICAIC NA ÁFRICA: Maputo, meridiano novo (16’) + Nova sinfonia (39’) + O milagre da terra morena (20’) + Noticiero ICAIC n. 736 (4’) + Noticiero ICAIC n. 739 (4’). Com a presença do pesquisador Alexsandro Silva.

15/11, terça-feira
16h00 – TODO O PODER ÀS CRIANÇAS I: Empoderadas – Mc Soffia (5’) + A República dos Meninos (78’). Com a presença da cineasta Renata Martins.
18h30 – MULHER, CINEMA E REVOLUÇÃO II: Sambizanga (102’). Com a presença de Annouchka de Andrade, filha da cineasta.

16/11, quarta-feira
16h00 – MESA REDONDA: O nascimento do cinema moçambicano. Com Ruy Guerra, José Luís Cabaço, Rita Chaves, Camilo de Sousa e Isabel Noronha.
18h00 – RUY GUERRA II: Mueda, memória e massacre (80’). Com a presença do cineasta Ruy Guerra.

17/11, quinta-feira
16h00 – LUTA E MEMÓRIA V (Moçambique): O tempo dos leopardos (91’). Com a presença do cineasta Camilo de Sousa.
18h30 – CINEMA MOÇAMBICANO, CINEASTAS ESTRANGEIROS III (Licínio Azevedo): A colheita do diabo (52’) + Hóspedes da noite (53’).

18/11, sexta-feira
16h00 – LUTA E MEMÓRIA I (Guiné-Bissau): Tudo bem, tudo bem, vamos continuar (31’) + Morte negada (85’). Com a presença do cineasta Flora Gomes.
18h00 – DEBATE: O cineasta Flora Gomes conversa sobre sua obra com a pesquisadora Carolin Overhoff Ferreira.

19/11, sábado
15h00 – OFICINA MEMÓRIA E AUDIOVISUAL II: O conceito de casa da memória negra: Cinema expandido e história da preservação de divulgação da memória negra local, com Lilian Solá Santiago. Na CAIXA Cultural.
16h00 – CINEMA MOÇAMBICANO, CINEASTAS ESTRANGEIROS II (Jean Rouch e Murilo Salles): Makwayela (19’) + Estas são as armas (60’).
18h00 – LUTA E MEMÓRIA VI (Guiné-Bissau): Árvore de sangue (95’). Com a presença do cineasta Flora Gomes.
23h30 – LUTA E MEMÓRIA III (Guiné-Bissau): Xime (95’).

20/11, domingo
16h00 – TODO O PODER ÀS CRIANÇAS II: Empoderadas – Thais Dias (8’) + Na cidade vazia (90’).
18h00 – TODO O PODER ÀS CRIANÇAS I: Empoderadas – Mc Soffia (5’) + A República dos Meninos (78’). Com a presença do cineasta Flora Gomes.

21/11, segunda-feira
16h00 – MULHER, CINEMA E REVOLUÇÃO III: Mulheres da Guerra (50’) + Os comprometidos (51’).
18h00 – MULHER, CINEMA E REVOLUÇÃO IV: Vovós guerrilheiras (80’).

22/11, terça-feira
16h00 – CURTAS DE SANTIAGO ÁLVAREZ E DO ICAIC NA ÁFRICA: Maputo, meridiano novo (16’) + Nova sinfonia (39’) + O milagre da terra morena (20’) + Noticiero ICAIC n. 736 (4’) + Noticiero ICAIC n. 739 (4’). Com a presença da pesquisadora Cristina Beskow.
18h30 – MEMÓRIA E RACISMO: Empoderadas – Ana Koteban (5’) + Tabu (118’).

23/11, quarta-feira
16h00 – LUTA E MEMÓRIA VI (Guiné-Bissau): Árvore de sangue (95’).
18h00 – MULHER, CINEMA E REVOLUÇÃO I: Yvone Kane (118’).




Tópicos relacionados

Questão Negra   /    África   /    Cinema   /    São Paulo (capital)   /    Cultura

Comentários

Comentar