CONTRA O PARCELAMENTO

Começa a paralisação dos servidores do RS

Haverá, nessa quinta-feira, a paralisação dos servidores públicos do Estado do Rio Grande do Sul. Após o parcelamento do salário dos servidores, deixando apenas R$ 650 na conta este mês, boa parte do funcionarismo público decidiu paralisar contra a medida absurda do governador Sartori. O chamado inicialmente foi feito pelos policiais, militares e civil, mas foi aderido por outros setores como técnicos e professores.

quinta-feira 4 de agosto| Edição do dia

O governador Sartori deu uma declaração provocativa ontem em resposta à paralisação. Em video (http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2016/08/sartori-diz-que-vai-responsabilizar-quem-desrespeitar-normas-civis-e-militares-7132234.html), afirmou que está "arrumando a casa" e pediu ordem e paz para os servidores, bem como avisou que irá "responsabilizar quem desrespeitar normas civis e militares".

O Sindicato dos Escrivães, Inspetores e Investigadores (Ugeirm) orientou a categoria a manter apenas 30% das atividades nas delegacias do estado. Sem saber exatamente qual seria a adesão dos policiais na paralisação, a Brigada decidiu aumentar o efetivo nas ruas de Porto Alegre em 35%.

O CPERS e outros sindicatos dos servidores, como o Sintergs e a Fessergs, estão chamando a paralisação. Em Porto Alegre a concentração para o ato unificado está marcada para de manhã, às 8h, na praça da Matriz.




Tópicos relacionados

Porto Alegre   /    Crise gaúcha

Comentários

Comentar