Educação

REABERTURA DAS ESCOLAS EM SP

Com uma semana de escolas abertas o saldo de contaminação por Covid já é assustador

Segundo informações da APEOESP sobre contaminações em escolas, com apenas uma semana da reabertura, dados mostram o que essa política de Doria e Rossieli irá impactar na vida da comunidade escolas, jogando todos à uma exposição a Covid, impondo um retorno inseguro para depois contar o número de mortos.

quinta-feira 4 de fevereiro| Edição do dia

Foto: reprodução

João Doria (PSDB) e seu secretário da educação Rossieli Soares querem jogar com as vidas da comunidades escolar, seguem fingindo que existe segurança para o retorno das aulas presenciais, mas em uma única semana, casos de contaminação já são confirmados tanto nas escolas públicas como nas privada.

Doria e Rossieli atuam com uma politica para levar a população à morte, sendo que o próprio estado e a grande maioria das cidades não estão preparados para novos surtos, podendo levar o estado para a mesma situação calamitosa e revoltante de Manaus, onde pessoas morrem sem oxigênio. Se em apenas duas ou uma semana de aula já surgem novos casos devido a reabertura, o que será das comunidades quando os alunos retornarem às aulas presenciais?

Em Campinas o cenário já é catastrófico. A apenas duas semanas da retomada de aulas presenciais em diversas escolas particulares de Campinas, o número de casos confirmados de covid explodiu. O caso mais emblemático é o da escola Jaime Kratz, que hoje já tem 5 alunos e 37 profissionais da educação infectados, com um caso mais grave de internação.

Veja aqui: Surto de covid nas escolas de Campinas: prenúncio do plano de reabertura “segura” de Doria.

Desde o ano passado, quando as escolas já abriam para aulas de reforço, profissionais da educação já estavam sendo expostos e morreram sem que o governo se importasse, sendo somente mais um número, assim como toda trabalhadora e trabalhador que se contaminou por não possuir o direito a uma quarentena racional ou acesso a EPIs ou atendimento médico necessário devido a precarização do SUS.

Fazem demagogia sobre o retorno às aulas, usam de escolas modelo para fazer propaganda da implementação de protocolos de segurança sanitária, mas tudo isso não passa de uma mentira, pois muitas escolas não possuem condições seguras ainda para o retorno. Muitas já começaram o ano sem água, chovendo dentro de sala de aula e com alcool gel inválidos para a higienização das mãos. Nem o mínimo o estado está garantindo, o que dirá de todos os itens do protocolo fantasioso que divulgaram.

Doria, assim como todo o regime golpista deste país, trabalham pelo lucro de poucos que pressionam para o retorno a "normalidade" no país que até disponibilidade de vacina é demagogia usada para disputas políticas. Isso porque, para colocar a verdade, não existe vacina nem para todos os trabalhadores da saúde que estão desde o início na linha frente no combate dessa pandemia.

Somente a comunidade escolar junto aos trabalhadores da saúde podem definir quando e como será dada a reabertura das escolas!
Leia aqui: Contra o retorno irracional às aulas: organizar a comunidade escolar por condições seguras, direito à vida e vacina!

O Esquerda Diário e o Movimento Nossa Classe Educação estão recebendo denúncias durante esse período que escancaram a precariedade que se encontram as escolas para uma reabertura.

Veja lista recebida abaixo, a partir de divulgação da APEOESP e de outras duas escolas do estado de São Paulo, com casos confirmados de contaminação, internações e até morte.

1 - E.E. PROFESSOR CÉSAR YÁSIGI – JARDIM MACEDÔNIA – ZONA SUL/SP
Toda a equipe - secretaria, agente de organização escolar, vice-diretora e diretora - que fez atendimento aos familiares dos alunos no mês de dezembro, se contaminou.
A vice-diretora que foi contaminada foi internada e contaminou toda sua família, tendo seu pai vindo a falecer.
A diretora, Beatriz de Lana Castro, ficou internada mais de um mês na UTI até falecer no dia 27/01/21.
A escola segue com a reabertura como se nada tivesse acontecido.

2 - ESCOLA ESTADUAL HELENA CURY DE TACCA – FRANCA
Um professor se contaminou e mais 2 professores e 2 coordenadoras tiveram também que se afastar com suspeita de covid. A escola também segue com reabertura.

3 - ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR JOSÉ BARTOCCI – ZONA LESTE – SP
Diretor, Vice-Diretor, Coordenador afastados por Covid nessa primeira semana do mês de fevereiro.

4 - ESCOLA ESTADUAL DOM JOSÉ MAURÍCIO – BRAGANÇA PAULISTA
Diretora, Vice-diretora, Coordenadora, GOE e funcionárias da limpeza estão contaminados por Covid.

5 - ESCOLA ESTADUAL PROFESSORA MATHILDE TEIXEIRA DE MORAES – BRAGANÇA PAULISTA
Um caso já foi confirmado e existe um suspeito.

6 - ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM RODEIGUES MADUREIRA – BAURU
Diretor está internado com Covid.

7 - ESCOLA ESTADUAL JULIA BERNARDES – SÃO JOSÉ DOS CAMPOS
Uma funcionária contaminada por Covid.

8 - ESCOLA ESTADUAL DEPUTADO EDUARDO BARNABÉ - CAMPINAS
Um funcionário afastados com covid, outros afastado devido contato direto, mas processo de reabertura também segue.

9 - ESCOLA ESTADUAL CARMEM MUNHOZ - FRANCA
Com casos confirmados de contaminação, mas não se sabe ainda o número de pessoas.

10 - ESCOLA ESTADUAL PROFESSORA HELENA CURY DE TACCA - FRANCA
Quatro membros da gestão contaminados por Covid.

11 - ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR PEDRO NUNES ROCHA – FRANCA
Um professor contaminado por Covid.

12 - ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR DR. JOÃO BATISTA SPINELLI – RIBEIRÃO PRETO
Vice-diretora contaminada por Covid e afastada por 14 dias.

14 - ESCOLA ESTADUAL CAPITÃO GETÚLIO LIMA – SALES OLIVEIRA
Professora contaminada por Covid e afastada por 14 dias.

15 - ESCOLA ESTADUAL JOSÉ RODRIGUES ALVES - CRUZEIRO
Vice-diretora, três professores e gerente de organização contaminados por Covid.

16 - ESCOLA ESTADUAL CORONEL HORTA - LAVRINHAS
Professor contaminado por Covid e está internado.

17 - ESCOLA ESTADUAL PROFESSORA IRENE BRANCO DA SILVA – ZONA LESTE – SÃO PAULO
Um professor contaminado por Covid e afastado desde 03/02.

18 - ESCOLA ESTADUAL VICENTE RIZZO – ÁGUAS DE LINDOIA
Diretora e duas professoras contaminadas por Covid.

19 - E.E. ERMELINO MATARAZZO
Um funcionário contaminado com mais duas com suspeita de Covid. E escola optou pelo adiamento do retorno às aulas presenciais.

20 - COLÉGIO MARIA IMACULADA - ZONA SUL DA CAPITAL
Dois alunos contaminados por Covid, resultando em suspensão das aulas presenciais até dia 12 de fevereiro.

21 - ESCOLA JAIME KRATZ - CAMPINAS
Cinco alunos e 37 profissionais da educação contaminados por Covid, com um caso mais grave de internação.




Tópicos relacionados

Comunidade Escolar   /    Rossieli Soares   /    Trabalhadores da educação   /    Reabertura das escolas   /    Vacina contra a covid-19   /    escolas públicas   /    escolas privadas   /    COVID-19   /    Pandemia   /    Escolas   /    Professores São Paulo   /    João Doria   /    Educação   /    Professores

Comentários

Comentar