Mundo Operário

REFORMA TRABALHISTA

Com trabalho intermitente, redes de fast food pagam salário mais barato que qualquer lanche

Jones Adriano Gaio

Professor da rede estadual do RS

segunda-feira 27 de novembro| Edição do dia

Após a aprovação da reforma trabalhista, que na verdade é escravidão dos trabalhadores brasileiros em beneficio dos capitalistas, empresas anunciam vagas para o “trabalho intermitente” nos jornais. Uma verdadeira farra das multinacionais que se instalam no Brasil para explorar a mão de obra dos trabalhadores e da juventude brasileira em troca de um salário de miséria.

O anuncio das lojas Bob’s, Spoleto, Balada Mix e Choe’s oriental gourmet oferece salário de R$ 4,45 por hora numa jornada de 5 horas aos sábados e domingos. Dessa forma, essas empresas não precisam pagar hora-extra para os funcionários que já trabalham no estabelecimento, tendo assim, um super lucro já que o movimento é maior nos finais de semana.

Com um salário miserável de R$ 4,45/hora, trabalhando 10 horas por final de semana, o trabalhador intermitente recebe ao final do mês (em geral 9 dias), em torno de R$ 200,25. Na verdade, R$ 184 líquidos, porque desconta previdência, desconto que de nada vale se o empregado não tirar mais R$ 75,00 todo mês para complementar a contribuição sobre o mínimo. Neste caso, sobram-lhe R$ 110, arredondando.

Mas, como no trabalho intermitente, o patrão não é obrigado a dar vale-transporte (9 dias = R$ 63,00) essa quantia é descontada do salário, sobrando ao final a incrível quantia de R$ 47,00. Alguns liberais que defendem a meritocracia podem afirmar que, se o trabalhador se esforçar, poderá capitalizar esse dinheiro e tornar-se um empresário no futuro. O capitalismo não produz somente miséria. Produz delírios também.

Mais um pequeno detalhe: se o trabalhador intermitente faltar ao trabalho, terá que pagar uma indenização ao patrão.

É dessa forma, que esse governo golpista quer resolver a crise. A televisão anuncia todos os dias que a reforma trabalhista vai gerar empregos, melhorar a economia e a vida das pessoas. Tudo uma grande mentira. A verdade, é que a reforma trabalhista e da previdência vai transformar os trabalhadores e a juventude em escravos, destruindo suas vidas e sonhos, tornando-os mão de obra barata e submissa para que os capitalistas aumentem a taxa de lucro diante da crise econômica.

A única forma de barrar esses ataques brutais aos trabalhadores é tomar a luta em nossas mãos, paralisar a produção e a circulação das mercadorias. É urgente parar o Brasil com uma grande greve geral, mostrando aos capitalistas que não aceitaremos essa superexploração. As centrais sindicais CUT, CTB, Força Sindical, UGT, estão chamando uma “greve nacional” para dia 05/12. Cabe aos trabalhadores exigir de seus sindicatos assembleias e comandos de mobilização, pois se depender do esforço dessas centrais, corremos o risco de ter um dia abandonado, como foi o último dia 10.




Tópicos relacionados

Reforma Trabalhista   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar