Política

DENÚNCIA

Com jantares e emendas, Temer tenta comprar deputados e evitar denúncia

Jantar com PSDB no Palácio do Jaburu, emendas parlamentares para a bancada BBB (Boi, Bala e Bíblia). Esses são alguns dos métodos do presidente golpista para tentar garantir apoio parlamentar na votação de denúncia contra ele, que deve ocorrer nesta semana.

segunda-feira 31 de julho| Edição do dia

O presidente golpista Michel Temer tem corrido para garantir apoio dos deputados na votação da denúncia contra ele. Por outro lado, nos últimos dois meses, bancadas como a BBB (Boi, Bala e Bíblia) reforçaram a pressão ao presidente por demandas que favorecem a si mesmos, utilizando isso como moeda de troca para o apoio ao presidente.

Além de distribuir emendas parlamentares e de receber mais de uma centena de deputados, Temer já atendeu algumas reivindicações e indica que poderá apoiar outras demandas históricas dos grupos, embora o Planalto, oficialmente, negue que está cedendo à pressão das bancadas. Dentre as que mais pressionam está a bancada ruralista, já bastante contemplada pelas medidas do governo de ataque às populações indígenas e ao meio ambiente, formada por 205 deputados.

Neste fim de semana o presidente, cuja rejeição popular é a mais baixa em muitos anos, também jantou com Aécio Neves (PSDB-MG), em tentativa de firmar o PSDB como apoiador do governo. Temer quer tentar garantir que a maioria dos deputados tucanos o protejam na votação da Câmara.

Para barrar o prosseguimento da denúncia na Casa, Temer precisa de um mínimo de 172 votos. A admissibilidade da acusação requer um mínimo de 342 votos. O governo está confiante de que a denúncia será rejeitada. A sessão está marcada para quarta-feira.

Há também a possibilidade de que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresente ao menos uma nova acusação contra o presidente, que é investigado também pelos crimes de obstrução da Justiça e organização criminosa. Esta situação intensificou o clima de toma-lá-dá-cá e troca de favores na Câmara.




Tópicos relacionados

PSDB   /    Política

Comentários

Comentar