Mundo Operário

12º CONGRESSO DOS METROVIÁRIOS DE SP

Com exigência às principais Centrais, Nossa Classe Metroviários tem importante votação

Terminou no último dia 07/02 as eleições das delegadas e delegados para o 12° Congresso dos Metroviários. Conforme deliberado em assembleia, as eleições ocorreram nas áreas onde o número de candidatos era superior ao número de vagas. Nas demais áreas os candidatos foram eleitos automaticamente. O congresso acontecerá de 01 a 04 de março na cidade de Nazaré/SP

sábado 10 de fevereiro| Edição do dia

A corrente Nossa Classe Metroviários (MRT e independentes) apresentou sua tese e fez uma campanha baseada na exigência às centrais sindicais para que convoquem uma Greve Geral contra a reforma da previdência e pelo direito do povo votar em quem quiser. Esta campanha ainda segue nas áreas, com panfletagens e exigindo que o sindicato, atualmente dirigido por maioria da CTB e CUT, convoque assembleia para construir o dia 19. Guarnieri, delegado eleito pelo tráfego da Linha 1 diz "enquanto o governo tenta a todo custo colocar a reforma da previdência em votação, as centrais sindicais deixam os trabalhadores a reboque da agenda parlamentar, aguardando se vai ou não para votação, sem convocar a Greve Geral. Mesmo assim algumas categorias votaram paralisação, como os metalúrgicos no ABC e os rodoviários em SP. Mas o nosso sindicato nem sequer convocou assembleia, por isso existe inúmeras críticas na base de que a maioria dos diretores estão distantes da categoria."

As eleições ocorreram num momento muito difícil com o avanço da privatização do Metrô, onde toda a semana são anunciadas mais demissões. Sobre isso Marília, diretora do Sindicato, e eleita delegada no tráfego da linha 3 comentou: "Um dos eixos que debatemos com os trabalhadores é que o sindicato precisa fazer uma grande campanha pela readmissão dos metroviários. O governo diz que a privatização não vai demitir, mas isso é mentira. A cada mês são dezenas de novas demissões, justificada por baixa produtividade. Só que todo mundo sabe que quem é baixo produtiva é a direção da empresa, envolvida em diversos casos de corrupção, e não os trabalhadores que são os responsáveis de fazer o metrô funcionar, mesmo com toda a política de precarização e terceirização de Alckmin e do PSDB."

Outro tema bastante discutido nos dias de campanha foi em relação à manutenção da ajuda de custo dos demitidos políticos de 2014. Para Daphnae, eleita delegada na Linha 3, a "solidariedade dos metroviários é um exemplo para todos a classe trabalhadora. Devemos continuar com essa ação de solidariedade até que os nossos demitidos, que já ganharam 2 vezes na justiça, possam ter de volta o seu direito de trabalhar".

Apesar de não terem sido eleitos, os jovens aprendizes tiveram uma expressiva votação. O Nossa Classe em sua tese também defenderá a necessidade de fortalecer a luta pela efetivação dos jovens aprendizes, não só para igualar os direitos desse setor da juventude trabalhadora com os metroviarios efetivos, mas também por ser uma maneira de aumentar o quadro operativo das estações, que há anos vem sendo atacado pelo governo.

Para combater os ataques da privatização e terceirização, com o fechamento de vários postos de trabalho como na manutenção e nas estações, a tese defende a democratização radical do sindicato. "Precisamos de um sindicato presente na base, por isso defendemos a criação de um conselho de delegados de base, renovável e eleito em cada área, que possa substituir a diretoria de base, que hoje é apenas um apêndice da diretoria, e não possui um caráter deliberativo desde a base. Também defendemos que as eleições volte a ser por chapa, e não nome a nome, para que prevaleça o debate das ideias e não fique personalizado. Mantendo o caráter proporcional, para que todos os votos e posições da categoria estejam representados no sindicato" diz Francielton, trabalhador da manutenção e eleito no Pátio Jabaquara.

O Nossa Classe elegeu 11 delegados para o congresso: Guarnieri e Andressa no tráfego da Linha 1; Camila Pivato, Rodrigo "Tufão", Isabela, Filipe e Shigueko nas estações da Linha 1; Daphnae nas estações da Linha 3; Marília no tráfego da linha 3; e Francielton e Inacio no Pátio da Manutenção Jabaquara.

Confira neste link o resultado das eleições.




Tópicos relacionados

Reforma da Previdência   /    Privatização   /    Centrais Sindicais   /    Metrô   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar