Sociedade

DESEMPREGO E SUBEMPREGO

Com desemprego alto, cresce trabalho informal e precário entre jovens

A taxa de desemprego na faixa etária entre 18 e 24 anos é de 28,8%, mais que o dobro da média nacional. Neste cenário o trabalho informal e precário é buscado pela juventude como alternativa.

quinta-feira 6 de julho| Edição do dia

No fim de abril o IBGE divulgou a taxa de desemprego no 1º trimestre de 2017, ficou em 13,7%, atingindo 14,2 milhões de pessoas. O desemprego no Brasil vem aumentando, os números atuais representam mais que o dobro do que tínhamos há 3 anos, e ainda pior, a perda de postos de trabalho ocorre ainda mais nos empregos com carteira assinada.

Se esses 13,7% já são alarmantes, a situação é ainda mais grave entre os jovens de 18 a 24 anos, pois 28,8% deles são atingidos pelo desemprego, ou seja, o dobro da média nacional. A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios mostra que desde 2012 a taxa de desemprego dos jovens é superior à média nacional, mas o que surpreendeu o economista Hélio Zylberstajn foi que a maioria dos 400 mil jovens em idade de trabalhar, entre março e maio conseguiu trabalho, entretanto, foram trabalhos sem carteira assinada.

Se por um lado esses jovens passaram a ter uma ocupação, por outro isso está longe de ser o ideal, pois estão desprotegidos, não terão acesso a garantias trabalhistas mínimas, tais como, auxílio doença, seguro desemprego, férias remuneradas e 13º salário, por exemplo.




Tópicos relacionados

seguro desemprego   /    Trabalho Precário   /    Desemprego   /    Sociedade   /    Juventude

Comentários

Comentar