Mundo Operário

GREVE CORREIOS

Com ajuda do TST, Correios impõe cobrança de mensalidade de plano de saúde a funcionários

A greve dos trabalhadores dos Correios seguem em forte greve mesmo com a decisão arbitrária do TST, em favor aos interesses privatistas de Guilherme Campos e Temer.

terça-feira 13 de março| Edição do dia

A ECT vem caminhando para um processo de privatização há alguns anos. O plano de saúde da categoria já foi privatizado desde 2014, quando se tornou a Postal Saúde. Além disso, alegando prejuízos, a empresa vem descontando sobre seus funcionários, sobrecarregando e terceirizando o trabalho da categoria, devido à falta de contratação combinada com aumento na demanda.

Nem mesmo as origens desses “problemas orçamentários” empresa explica, quando estão atreladas a decisões questionáveis de altos cargos do funcionalismo, com o presidente e vice da empresa recebendo mais que o Presidente da República, para que essas decisões fossem tomadas por fora da categoria, da população, com transparência real.

A cobrança de mensalidade nos planos de saúde dos trabalhadores da ECT é planejada desde de 2012, mas somente agora, graças a ajuda do Tribunal Superior do Trabalho (TST), com os trabalhadores em greve, é q esse ataque foi imposto.

Veja esse texto de uma ecetista em greve: 7 razões pra entender e apoiar a greve dos Correios

Uma escandalosa decisão, que se deu com base a uma revisão arbitrária de um Acordo Coletivo assinado na última greve, o que abre precedente para que a Justiça siga violando acordos coletivos em favor de uma das partes (obviamente a patronal e seus interesses privatistas, como nesse caso). Tratou-se de uma verdadeira manobra jurídica que prova o caráter profundamente anti-operário dessa Justiça, a serviço de privatistas como Guilherme Campos e Temer.

Por outro lado, as direções burocráticas da categoria de ectistas tem responsabilidade por terem aceitado por fora da categoria esse tipo de acordo na última greve, que permitia que o julgamento do convênio permanecesse nas mãos do TST.

Porém, a greve dos Correios segue forte na maioria das bases, somente 8 sindicatos saíram por enquanto, com as principais em São Paulo e no Rio de Janeiro se mantem em greve. Nós do Esquerda Diário estamos em campanha de solidariedade e apoio ativo a essa categoria, em luta contra os planos privatistas da do governo golpista de Temer, Guilherme Campos e da Justiça burguesa.

Confira os principais termos da decisão:

1) Cobrança de mensalidade de empregados e seus dependentes, conforme faixas remuneratória e etária;

2) Proporcionalidade de pagamento de despesas totais, sendo 30% para empregados e 70% para os Correios;

3) Manutenção do plano de saúde para todos os pais e mães, com cobrança de mensalidade, até 31/07/2019. A partir de Agosto de 2019, os dependentes serão incluídos em plano família;




Tópicos relacionados

Plano de Saúde   /    Greve dos correios   /    Correios   /    Poder Judiciário   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar