Sociedade

SAÚDE

Com acordos informais prefeitura de Dória busca legitimar as parcerias com a rede privada

quinta-feira 15 de dezembro de 2016| Edição do dia

De acordo com informações da Folha a equipe do prefeito eleito de São Paulo João Dória estaria buscando, através de acordos informais, o AVAL do Tribunal de Contas do Município (TCM) para a contratação sem concorrência dos serviços hospitalares da rede privada do município a fim de viabilizar o já precário “plano emergencial” chamado corujão da saúde.

Apesar do próprio TCM negar em nota qualquer acordo com a equipe de Dória, fica bem claro qual o sentido que vai caminhar as supostas “soluções” para os problemas da cidade.

De acordo com a Folha o TCM teria aconselhado que ao invés de contrato emergencial a prefeitura faça um chamamento público. Duas modalidades que atuam por fora da necessidade de licitação. Essas supostas “parcerias” não teriam prazo de término. Esse contrato incluiria cerca de 40 unidades privadas da cidade.

Seria um gasto estimado por hora de 17 milhões que na verdade, longe de “zerar” a fila de espera de exames da rede municipal, vai colaborar para que as grandes redes privadas de saúde lucrem com a ociosidade de seus serviços já que com o aumento do desemprego e a precarização do trabalho, diminuiu o número de trabalhadores que possuem plano de saúde.

É assim que Dória busca ir implementando seus planos privatistas: ao invés de investir na melhoria e ampliação da rede pública para que inclusive aquele cidadão que mora muitíssimo distante da rede privada, possa ter acesso fácil ao serviço de saúde; ao invés de resolver o grande déficit de trabalhadores na rede pública com a contratação de médicos e profissionais, fortalece o setor privado como provedor “bem remunerado” dos serviços que deveriam ser livres e acessíveis a todos.




Tópicos relacionados

João Doria   /    Sociedade   /    São Paulo   /    Política

Comentários

Comentar