CONTRA A PEC DO FIM DA USP

Com a universidade vazia, reitoria marca reunião que pautará PEC do fim da USP

sexta-feira 7 de abril de 2017| Edição do dia

A reitoria marcou reunião do Conselho Universitário (C.O.) para terminar de aprovar a PEC do fim da USP, que foi votada em base a repressão brutal. Esse ataque se liga aos de Temer, e precisamos resistir com toda força a ambas as medidas, como colocamos aqui.

Veja o que diz Bruno Gilga, representante dos trabalhadores no Conselho Universitário:

Reproduzimos abaixo chamado publicado pelo Sintusp em boletim de 7/4:

C.O. DIA 11/4 PAUTARÁ PEC DO FIM DA USP
PARALISAÇÃO E ATO ÀS 12H NA REITORIA

Reitoria marcou reunião de última hora pra terminar o golpe no meio da semana de recesso!

Fazer reuniões em todas as unidades! Todos à paralisação e ato pela revogação da PEC do fim da USP!

Ao apagar das luzes para a semana de recesso (literalmente, depois das 20h do dia 6/4!) a reitoria da USP marcou reunião do Conselho Universitário, que vai pautar os “Parâmetros de Sustentabilidade”, conhecidos como a PEC do fim da USP, para o dia 11/4, ou seja, no meio da semana santa em que não há aulas, e sem nenhuma antecedência de convocação! Sem estudantes e professores na universidade, na semana em que vence o prazo para a transferência da sede do Sintusp, e ao mesmo tempo em que ameaça com a reintegração de posse a creche oeste! Com esse golpe Zago quer terminar de aprovar a destruição da USP, que foi votada no dia 7/3em base ao sangue de trabalhadores e estudantes que foram brutalmente reprimidos pela PM! Tudo para aplicar na USP a versão de Zago e Alckmin dos mesmos ataques que Temer e o Congresso estão descarregando sobre as costas dos trabalhadores do país inteiro! Esses ataques estão ligados, e a nossa resistência a todos eles também deve estar!

Na pauta do C.O. estão as votações dos destaques feitos na reunião do dia 7, entre elas as de supressão dos artigos que determinam o congelamento salarial, a proibição das contratações, a eliminação do “excesso” da folha de pagamento em até um ano, a proporção de 40% de docentes sobre o total de servidores ativos (que significa o corte de pelo menos 5 mil trabalhadores!), e a exigência de 2/3 dos membros do C.O. para alterar ou revogar essa resolução. Com exceção desta última cláusula, todas as outras tiveram parecer das Comissões de Orçamento e Patrimônio e Legislação e Recursos defendendo a manutenção da proposta original da reitoria. Um ponto que nem está na pauta de votação é o limite de reajuste salarial a 90% do crescimento do repasse do Estado para a USP (que no último ano foi zero).

Nossa Assembleia Geral dos Trabalhadores já aprovou, no dia 22/3, PARALISAÇÃO E ATO no dia em que fosse marcada a reunião do C.O. para pautar a PEC do fim da USP! Porque é fundamental enfrentar toda a armação da reitoria para dificultar a mobilização, e colocar toda nossa força para defender a REVOGAÇÃO TOTAL dessa PEC do fim da USP!

O ato está sendo chamado também pelo DCE, pela Adusp (que também aprovou paralisação) e pelo Fórum das Seis!

Chamamos todos os trabalhadores a aderir à paralisação, com ato em frente à reitoria a partir das 12h, fazendo reuniões de unidade já na segunda-feira em todas as unidades em que seja possível, pra fortalecer a paralisação e o ato!





Tópicos relacionados

SINTUSP   /    USP

Comentários

Comentar