Mundo Operário

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Com a reforma da Previdência idosos pobres vão se aposentar com 400 reais

Com a Reforma da Previdência, que foi ao congresso nesta última quarta-feira, os idosos pobres, que não tiveram como contribuir com a previdência social, vão se aposentar a partir dos 60 anos com 400 reais, aprofundando a miséria social.

quinta-feira 21 de fevereiro| Edição do dia

Com a absurda Reforma da Previdência, que foi ao congresso esta semana, Bolsonaro quer criar regras diferenciadas para o recebimento do BPC (Benefício de Prestação Continuada), que atualmente paga um salário mínimo a idosos e deficientes em situação de miséria, pagará, aos 60 anos, R$400 para os beneficiários, menos da metade de R$998.

Somente a partir dos 70 anos de idade que o valor recebido passará a ser de um salário mínimo. A proposta de alterar regras do BPC já tinha sido requerida também por Michel Temer mas foi uma das primeiras a serem deixadas de lado exatamente pelo escândalo que significa um idoso receber 400 reais para sobreviver.

Agora, junto com outras medidas, Bolsonaro quer aprofundar a miséria social aos idosos pobres, que não terão condições de arcar com questões elementares, como remédios, aluguel, transporte, alimentação adequada. Querem que ao chegar na velhice muitos trabalhadores amarguem uma vida cada vez mais precária, inclusive tendo que continuar trabalhando para conseguir arcar com o custo de vida.

Toda propaganda do governo junto às mídias é fazer um discurso de que quem ganha mais, pagará mais pela previdência, isso para tentar convencer os trabalhadores de apoiar a absurda reforma. Mas medidas como essa, aliadas a outras como: aumento da idade mínima para se aposentar, aumento do tempo de contribuição, ataques a aposentadoria por invalidez, incentivo a informalidade e isenção de obrigações trabalhistas aos empresários, escancaram que os únicos que ganham com essa reforma são os patrões, e para os trabalhadores o que é colocado é uma vida de amargar na miséria total.

Não há reforma que "respeite" o trabalhador e a população, esse ataque tem o objetivo primordial de fazer lucrar sob a exploração dos trabalhadores ainda mais os patrões e os banqueiros. Enquanto isso, parlamentares e juízes continuam nadando em seus privilégios, como grandes salários, aposentadorias, benefícios e auxílios de toda ordem.

É urgente que as centrais sindicais rompam com a paralisia e a paz que dão ao governo Bolsonaro e organizem uma grande mobilização dos trabalhadores, colocando sua força real nas ruas para barrar a reforma da previdência, buscando se aliar com o movimento de mulheres, juventude, negros e LGBTs.




Tópicos relacionados

Paulo Guedes   /    Rodrigo Maia   /    Jair Bolsonaro   /    Reforma da Previdência   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar