Sociedade

METRÔ SP

Com 7 anos de atraso Linha 15 - Monotrilho é entregue até São Mateus em SP

Prevista para ser entregue em 2012, a linha 15 do Monotrilho inaugurou mais 3 estações nessa segunda feira (16). Agora a linha passa a funcionar de Vila Prudente a São Mateus, totalizando 10 estações nesse trecho. Entre Sapopemba e São Mateus a linha irá funcionar a princípio das 10h as 15h,só sendo liberado seu funcionamento integral das 4h40 a 00h depois de mais testes serem realizados.

sexta-feira 20 de dezembro de 2019| Edição do dia

O governador João Doria disse durante a inauguração que a estação Tiradentes, última estação da linha, está prevista para 2022, completando 10 anos de atraso na primeira previsão de entrega da linha, que era 2012, prazo dado pelo governador da época Geraldo Alckmin, do mesmo partido do atual governador Doria (PSDB).

Trabalhadores da linha 15 reclamam que as estações estão sendo inauguradas sem estarem adequadas para locação de funcionários. Muitos locais não tem copa para serem realizadas as refeições, nem banheiros prontos para utilização dos empregados. A falta de pessoal também é muito sentida pelos empregados, chegando a estações que abrem com apenas 1 ou 2 pessoas, sobrecarregando as atividades e prejudica a qualidade do atendimento a população, o que acontece também nas linhas 1, 2 e 3 do Metrô, como já denunciado por relato anônimo pelo Esquerda Diário.

Todo esse cenário se dá em uma linha já entregue a iniciativa privada por meio de leilão. Uma linha que custou 5 bilhões para ficar pronta, foi leiloada por 169 milhões, com o consórcio CCR ganhando o direito de operar a linha. CCR que tem dentro de seu consórcio empreiteiras envolvidas com conhecidos escândalos de corrupção e relações espúrias com partidos políticos. Devido a problemas judiciais de uma das construtoras ligadas ao consórcio CCR e outros problemas técnicos não esclarecidos, a assinatura do contrato não foi concluída, fazendo a linha permanecer nas mãos do Metrô de SP por decisão da justiça.

Mas a insana vontade política de privatizar tudo que pode, não acaba com esse fracasso da linha 15. João Doria está empenhado em entregar a linha para iniciativa privada, assim como quer fazer com todo Metrô de SP. A privatização é a grande responsável pelas caras passagens pagas pelos usuários e a diminuição de funcionários. Por isso os metroviários e a população tem que estar juntos na luta contra a privatização, pois o trabalhador ganha menos, o usuário é prejudicado com um serviço prestado de inferior qualidade, enquanto as linhas se expandem a passos de tartaruga e os empresários amigos do governo lucram rios de dinheiro a custa de um transporte lotado, caro e com pouca mão de obra para atender o público. É necessário uma unidade entre passageiros e metroviários para lutar pela estatização de todo o transporte sob controle dos trabalhadores e usuários, pois só assim poderemos expandir as linhas, com uma tarifa acessível e um serviço de qualidade prestado.




Tópicos relacionados

Alckmin   /    Sociedade   /    São Paulo   /    Metrô

Comentários

Comentar