Política

CORONAVÍRUS

Com 50 dias de atraso, Hospital de Campanha de São Gonçalo abre com apenas 20% da capacidade

Previsto para o dia 30 de abril, hospital só veio abrir agora, e ainda assim com apenas 40 dos 200 leitos previstos.

quinta-feira 18 de junho| Edição do dia

Após 50 dias,o governo Witzel finalmente abriu o hospital de campanha de São Gonçalo. É uma pena que todos aqueles que precisaram de um leito nesse hospital nos 50 dias em que ele esteve atrasado já morreram. Mortes que seriam evitáveis, visto que se os hospitais de campanha tivessem sido inaugurados na data, a fila de leitos no estado do Rio poderia nunca ter existido.

No entanto, o hospital foi inaugurado com apenas 20% da capacidade. Além disso, o estado ainda não inaugurou outros 3 hospitais prometidos: o de Nova Iguaçu, Campos e Casemiro de Abreu. Esses últimos, diga se de passagem, que o secretário de saúde falou que talvez não construíssem porque seria "desnecessário"..

Durante boa parte do tempo, a construção desses hospitais esteve sob a responsabilidade da OS Iabas, acusada corrupção. Apenas há pouco tempo, quando ficou evidente que a OS não iria entregar o hospital, que o Witzel resolveu estatizar a construção do hospital (deixando a OS impune por tal absurdo).

Isso só evidencia como a privatização é uma das grandes responsáveis pela calamidade da saúde. No entanto, não podemos confiar na privatização proposta por Witzel, que já mostrou seu total descaso com a saúde pública e seus inúmeros laços com as OS. É necessário que os trabalhadores levantem seu próprio programa, exigindo a estatização do sistema de saúde privado e sua centralização sob controle dos trabalhadores.




Tópicos relacionados

Privatização da Saúde   /    Wilson Witzel   /    Saúde   /    Política

Comentários

Comentar