Mundo Operário

DESCASO

Cinco trabalhadores da Petrobras morreram por COVID-19 na última semana

Cinco empregados da Petrobras morreram por COVID-19 na última semana, subindo para nove o número de óbitos causados pelo descaso da diretoria da estatal desde o início da pandemia.

terça-feira 19 de janeiro| Edição do dia

Foto: Agência Brasil

Quase 10% da força de trabalho da empresa (46.416) já foi contaminada, ou 4 274 pessoas, sem contar os terceirizados que prestam serviços e não estão sendo contabilizados pela Petrobras, o que significa que esse número chocante pode ser muito maior.

Veja também: Trabalhador terceirizado do TABG da Petrobrás morre com suspeita de COVID-19 e não é testado

A companhia afirma que adota todas as medidas necessárias para conter a disseminação da doença, como testagem antes dos embarques nas plataformas e isolamento imediato ao ser constatado qualquer sintoma em empregados embarcados. Contudo, a estatal interrompeu a aplicação de testes do tipo RT-PCR, considerados mais eficazes, e adotou em caráter temporário o teste menos confiável do tipo antígeno no pré-embarque, além de exigir um intervalo mínimo de 90 dias entre um exame e outro.

Veja também: Segunda onda de COVID e criminoso descaso da Petrobras. A P-69 é um sintoma de como o lucro vale mais que as vidas

Além disso, de acordo com informações da entidade sindical da categoria, a empresa está se negando a retestar os funcionários de locais com novos picos de casos da doença, como, por exemplo, na Refinaria de Manaus. A gestão da estatal também tem se recusado a reconhecer o nexo causal necessário para emissão das Comunicações de Acidente de Trabalho (CAT) dos empregados contaminados durante expediente, o que impede com que os afetados pela COVID-19 possam dar entrada em benefícios como auxílio acidente e auxílio doença.




Tópicos relacionados

Petroleiros   /    Crise do Coronavírus   /    COVID-19   /    pandemia   /    Coronavírus   /    Petrobras   /    Crise da Petrobrás   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar