Charlottesville: Construir unidade para esmagar o Fascismo

Trump tem permanecido calado sobre o grande número de crimes de ódio racistas e antissemitas que tem acontecido desde que assumiu. Em uma declaração vaga e quase coerente e nada coerente após os confrontos em Charlottesville, Trump não mencionou o assassinato de Heather Heyer. Ele condenou a violência de “muitos lados” e recusou condenar especificamente os supremacistas e fascistas brancos.

quinta-feira 17 de agosto| Edição do dia

Image From NDTV

Este artigo foi originalmente pbulicado no Socialist Action Website.

Heather Heyer, presente! A Ação Socialista condenou o assassinato de Heather Heyer, 32 anos, por um ultra direitista, que jogou seu carro na direção de um protesto anti-fascista no dia 12 de agosto, mais de 30 manifestantes ficaram feridos neste dia.

Heather, que trabalhava como assistente jurídica em Charlottesville, Virgínia, foi ao protesto demonstrar apoio aos manifestantes e sua oposição aos bandidos racistas e fascistas que sistema capitalista decadente vomitou. Seu assassino, James Alex Fields Jr, 20 anos, escapou da cena, mas foi preso pouco tempo depois. Um de seus professores no Ensino Médio em Ohio disse à ABC News que Fields era “apaixonado pelos nazistas e por Adolph Hitler”.

O chamado por uma mobilização ultra-direitista em Charlottesville tinha como objetivo reunir grupos neonazistas, neo-confederados e a Ku Klux Klan em uma ação para defender a estátua de Robert E. Lee, general que Liderou o exército dos proprietários de escravos durante a Guerra Civil da década de 1860. A Câmara Municipal de Charlottesville havia votado para remover a estátua do Parque Lee (também em homenagem ao general escravocrata) – que atualmente chama-se Parque da Emancipação. A manifestação foi noticiada como a maior concentração da extrema-direita e racistas em pelo menos uma década.

Em 11 de agosto, com tochas empunhadas, uma marcha ao campus da Universidade de Virgínia, os supremacistas brancos entoavam: “vidas brancas importam”, “não irão nos substituir”, “judeus não nos substituirão”, “sangue e solo”. Direitistas atacaram um grupo pequeno de manifestantes, usando tacos e soqueiras, enquanto polícia branca apenas observava.

No sábado, 12 de agosto, enquanto os fascistas se reuniram para o seu protesto, os opositores superaram em número os fascistas. Quando começaram os confrontos, as autoridades declararam o estado de emergência e os policiais ordenaram a dispersão. Os confrontos continuaram, ferindo pelo menos 15 manifestantes.
Mais tarde, os grupos de esquerda começaram a marchar em direção ao centro entoando: “as ruas são de quem? Nossas ruas!” Sem aviso, Fields avançou com seu carro na direção dos manifestações, assassinando Heyer e ferindo ao menos 19 pessoas. Entre os feridos estavam membros da International Socialist Organization (ISO), os Democratic Socialists of America (DSA).

A ascensão de Trump encoraja fascistas

Klansman, conhecido refutador do Holocausto e o ex-líder nazista David Duke disseram na manifestação de Charlottesville que "estamos determinados a tomar nosso país de volta. Nós vamos cumprir a promessaa de Donald Trump...Por isso votamos em Donald Trump, porque ele disse que irá tomar nosso país de volta”.
Trump concorreu para presidente em uma campanha populista reacionária para pessoas com problemas econômicos. Durante sua ascensão à Casa Branca, ele tomou como bode expiatórios imigrantes e Mulçumanos enquanto colhia suporte de fascistas como David Duke e o fundador da “alt-right” (neonazistas, nacionalistas, racistas) Richard Spencer, bem como da Ku Klux Klan. Os partidários de Trump atacaram manifestantes durante a campanha, quando o candidato incentivou sua violência.

Enquanto Trump não é um fascista, está entrelaçado com o porta-voz da “alt-right”, Steve Bannon e Stephn Miller (um amigo de faculdade de Richard Spencer). Sua eleição e retórica tem encorajado os fascistas e racistas. Esses grupo cresceram e tem se mobilizado desde as eleições, tomando a ascensão de Trump ao poder como um sinal para sair das sombras. O sita neonazista Daily Stormer escreveu que Trump “está nó libertando”.

Trump tem permanecido calado sobre o grande número crimes de ódio de racistas e antissemitas que tem surgido após ele ter chegado à presidência. Em uma declaração vaga e nada coerente após os confrontos em Charlottesville. Ele negou-se a mencior assassinado de Heather Heyer. Ele condenou a violência de “ambos os lados” e recusou condenar especificamente os fascistas e os supremacistas brancos.
David Duke, aparentemente irritado pele leve repreensão de Trump, twittou, “Eu recomendaria à você que olhasse bem para o espelho e se lembrasse que foram os americanos branco que o colocaram na presidência, não radicais de esquerda”.
Mas outros direitistas tomaram o discurso de Trump como uma vitória. “Trump só denunciou anti-fa?”, twittou Richard Spencer, usando um termo utilizdo para descrever os manifestantes antifascistas. E o nazista Daily Stormer escreveu satisfatoriamente que Trump tinha “se recusado a repudiar” os fascistas. “Ele não nos atacou... quando pediram que condenasse, ele apenas saiu da sala. Muito, muito bom”.

Fascismo e como enfrentar

Fascismo é um sintoma do capitalismo em sua decadência. As táticas dos fascistas foram descritas por MIlik Miah em agosto de 1975 na International Socialist Review (Liberdade de Expressão e a luta contra a ultra direita):

“Fascistas tentam virar a raiva para aqueles ameaçados pela ruína devido à crise capitalista contra as minorias raciais oprimidas e o operariado organizado. Neste país, a abordagem das organizações fascistas nos anos 1930 e 1940 foi afirmar ser os representantes do povo contra ambos, os grandes capitalistas e os “comunistas”, direcionando seu ódio especialmente aos negros, judeus e aos sindicatos. Em seu livro ‘Fascismo e o grande negócio’, Daniel Guerin apontou que ‘o jogo do fascismo é chamar a si de anticapitalista sem atacar seriamente o capitalismo’.”

A base social do fascismo é a pequena burguesia (a classe média). Na luta pelo poder, o fascismo usa slogans anticapitalistas, mas seus financiadores são a classe dominante. Eles usam a pequena burguesia, como Trotsky chamou de “aríete” contra a classe trabalhadora. O regime fascista é, nas análises finais, o governo do capital financeiro.

Tendo mascarado sua intenção sob a retórica anticapitalista, os nazistas rapidamente subordinaram toda a sociedade alemã às necessidades da classe capitalista. Não podemos confiar em policiais, tribunais e políticos capitalistas para nos proteger de armas fascistas. Os policiais costumam se aliar diretamente aos fascistas.

Os socialistas rejeitam a noção de que pequenos grupos envolvidos nos conflitos de rua podem derrotar os fascistas. Nós buscamos mobilizar as maiores mobilizações possíveis dos trabalhadores e dos oprimidos contra esses bandidos. Nós precisamos construir coalizões de massa, frente unida que incluem os sindicatos e organizações das nacionalidades oprimidas, mulheres, estudantes e os LGBTQI.
Ao mesmo tempo, nos apoiamos o direito de organizar autodefesa contra os ataques racistas e fascistas. Nós levamos ao coração o slogan da IWW, "um ferimento à um é ferimento à todos".




Comentários

Comentar