Economia

PRIVATIZAÇÃO

Chapada dos Veadeiros entregue de bandeja à iniciativa privada

Absurda concessão de 20 anos inclui o controle de acesso ao parque, recepção de visitantes, venda de ingressos, alimentação, loja de conveniência, espaço de campismo das Sete Quedas e transporte interno, ou seja, pacote completo de lucro para iniciativa privada.

quarta-feira 19 de dezembro de 2018| Edição do dia

O contrato de concessão do parque foi assinado nesta terça-feira, 18, pelo ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte, e as empresas Parquetur Participações e Socicam Terminais Rodoviários e Representações. Fechando com “chave de ouro” esse governo golpista e entreguista de Temer e deixando a Bolsonaro portas abertas pra que o exemplo se aplique e se expanda.

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, terá agora os serviços tocados pela iniciativa privada, sendo assim mais uma fonte de lucros para que até mesmo por essa via de exploração grande empresas e capitalistas saiam literalmente no lucro.

Até o momento o parque era administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), com entrada gratuita para população.

São 20 anos de duração da concessão, incluindo nesta o controle de acesso ao parque, recepção de visitantes, venda de ingressos, alimentação, loja de conveniência, espaço de campismo das Sete Quedas e transporte interno.

E já começa o engodo demagógico. Sempre partindo do falso discurso de “melhorias na estrutura de uso público do parque, para estimular o turismo de aventura e ecológico”, as empresas propagam que farão investimentos de R$ 14 milhões na Chapada dos Veadeiros, localizada na região do Cerrado, em Goiás.

A concessão dos parques se apoia em uma lei (13.668/2018) aprovada em maio deste ano pelo governo federal. A Chapada dos Veadeiros é o segundo parque que passa pelo processo de concessão após a criação da lei. O Parque Nacional do Pau Brasil, na Bahia, foi o primeiro. O cronograma do governo prevê ainda que os parques nacionais dos Lençóis Maranhenses (MA), Itatiaia (RJ), Caparaó (MG) e da Serra da Bodoquena (MS) passem a ser administrados por empresas. Assim, grandes marcas e empresas pela via de terceirização, garantem seus lucros sempre em base da desculpa furada de mais investimentos na estrutura e preservação de tais locais.

Entregar de bandeja aos empresários, grandes marcas e ao imperialismo nossas estatais, recursos naturais e parques é uma das investidas de Bolsonaro e sua corja. Rifando o país aos ditames e interesses imperialistas, o presidente eleito e seus aliados, capachos dos mandos e desmandos do “mercado”, tentarão de toda forma sugar tudo o quanto puderem nessa jornada pelo lucro desenfreado dos capitalistas. Contra isso e todos os demais ataques, sejamos nós , diariamente, uma voz anti imperialista, construindo desde as bases, frentes de luta contra cada ataque.




Tópicos relacionados

Imperialismo   /    ecologia   /    Privatização   /    Economia

Comentários

Comentar