Juventude

TRIBUNA ABERTA

Chapa de oposição ao PSDB ganhou as eleições do DCE da PUC-Rio

segunda-feira 28 de novembro| Edição do dia

Nos dias 24 e 25 de novembro ocorreram na PUC-Rio a eleição para o diretório central dos estudantes. Concorreram a chapa, Muda, composta pela juventude do PSDB que há dois anos é a gestão do DCE e a chapa Renova, uma chapa de esquerda compostas pelos coletivos presentes na universidade.

Nas urnas a chapa Renova recebeu 2325 votos e a chapa Muda recebeu 2144, o que demonstrou uma ampla participação dos alunos nunca antes notada na universidade. Além da votação histórica, outros elementos importantes compuseram o caráter impar dessa eleição. Um deles é a própria composição da chapa Renova, o outro é a campanha pautada pela desocupação empreendida pela chapa Muda (PSDB).

A composição e a construção da chapa Renova foi proposta pelo Coletivo Madame Satã(LGBT+), Coletivo Nuvem Negra (de alunos e alunas negras), Coletivo Bastardos da PUC (de bolsistas periféricos), Coletivo Vila (ampla coalizão de alunos de esquerda) e o Coletivo de Mulheres (de alunas feministas).
O Renova foi elaborado a partir de um ponto de vista autonomista, sem filiação partidária o qual pautou a luta contra o machismo, a transfobia, homofobia, racismo e o preconceito sofrido pelos alunos bolsistas na universidade. Em nenhum momento se abriu o espaço de construção da chapa para o direcionamento partidário, os alunos inviabilizaram qualquer tipo de politica estudantil que ocorresse nesse sentido.

Por ser uma chapa ampla e autônoma de composição heterogênea a pauta que norteou o debate politico foi a luta contra os preconceitos presentes na PUC-Rio. Se pretendeu construir um espaço de discussão onde esses alunos pudessem não somente serem ouvidos pela instituição e terem suas demandas atendidas, mas também fazer frente a uma direita reacionária bastante expressiva dentro da universidade.

As pautas defendidas pelos coletivos e pela chapa Renova tiveram grande aceitação entre os alunos da PUC-Rio, pois atualmente a universidade é composta por 52% de alunos bolsistas o quais se sentiram representados por esse tipo de luta política. A chapa Renova conseguiu um maior número de votos, pois disputou o espaço político da universidade a partir das questões levantadas e defendidas pelos coletivos e pelo explícito apoio a ocupação. Ao passo que a chapa Muda (PSDB) em suas incansáveis tentativas de deslegitimar a ocupação, associou o voto na chapa como um posicionamento contra a ocupação. O tiro saiu pela culatra, os alunos responderam nas urnas que eram favoráveis ao movimento de ocupação da universidade contra a PEC 55 (antiga 241) e se posicionaram a favor da luta dos movimentos sociais presentes na PUC-Rio.

A luta está, desta forma, apenas começando, a votação apertada e o elevado número de votos na chapa do PSDB evidencia também a articulação e a presença de uma direita neoliberal e reacionária. No entanto, a vitória da chapa Renova mostrou que há uma saída á esquerda para os problemas institucionais da universidade.




Tópicos relacionados

PEC 241/55   /    #OCUPATUDO   /    Rio de Janeiro   /    Juventude

Comentários

Comentar