Educação

PROFESSORES RIO GRANDE DO SUL

Chamada geral a parar o RS contra Sartori

Professores em greve do Movimento Nossa Classe e independentes de Caxias do Sul convocam a classe trabalhadora do RS a parar o estado contra Sartori no dia 10 de novembro. Veja o texto do panfleto.

quarta-feira 1º de novembro| Edição do dia

Há mais de 50 dias os professores do Estado estão em greve. Angustiados com seus salários atrasados, Sartori pouco se importa com quem depende da educação pública. Chamamos toda a população a parar o RS contra Sartori! Mas para isso, precisamos nos organizar e exigir das grandes centrais sindicais que tem o poder de chamar amplamente todos os trabalhadores do Estado a retomar o caminho da greve geral, abandonado em 30 de junho. Este ano a classe trabalhadora, em quem os políticos mais corruptos do sistema descarregam a crise, mostrou que tem força para barrar as reformas. Como no dia 15 de março e principalmente no dia 28 de abril. É preciso conversar com amigos, família, vizinhos, conhecidos sobre o futuro que esses governos (Temer, Sartori, Marchezan, Guerra) preparam para nós. O desemprego em Caxias atinge números absurdos, são mais de 30 mil desempregados, o que equivale a toda população de Flores da Cunha. Por outro lado todos os dirigentes sindicais da cidade que são do PCdoB e PT limitam seus discursos a dar uma “resposta” nas urnas ano que vem.

Nós, do MOVIMENTO NOSSA CLASSE E INDEPENDENTES, acreditamos que a única saída para a crise é dar a resposta nas ruas. O projeto de Sartori não afeta apenas servidores, mas também milhares de estudantes que estão sem aulas. O plano de privatizações irá entregar os principais bens públicos do RS nas mãos do capital, principalmente estrangeiro. E o que é pior, a preço de banana. Sartori em negociação com o comando de greve do CPERS, tenta usar a venda das ações do Banrisul como mecanismo de barganha para o pagamento dos salários dos servidores, dizendo que todos os salários serão regularizados em dezembro caso o Estado venda o Banrisul. Se conseguirmos uma grande paralisação geral unificando professores, municipários de POA, rodoviários, pais e toda população empregada e desempregada do Estado, poderemos impor que os ricos paguem pela crise. Pois foram os grandes empresários e banqueiros, que ligados a casta política mais suja do mundo, criaram a crise que agora querem impor sobre nós.

Unidos nas ruas, podemos exigir o confisco dos bens dos grandes sonegadores de impostos, imposto sobre as grandes fortunas e o fim das isenções fiscais. Essas medidas gerariam receita imediata para pagar o salário dos servidores e inclusive investir em obras publicas. Podemos exigir o fim do pagamento da absurda divida pública do Estado. Nenhum trabalhador fez essa dívida, por que terá que pagar por ela? Alias, dívida que já foi paga 3 vezes o valor e que, devido aos juros, ainda se deve o dobro daquilo que já se pagou. Um verdadeiro mecanismo de enriquecer banqueiros. As centrais sindicais chamam timidamente uma paralisação para dia 10/11. Temos que divulgar ao máximo para que esse dia seja igual ao dia 28/04, ou seja, uma grande paralisação em todo Estado e todo o Brasil e exigir das centrais CUT e CTB, que tenham medidas de ação efetivas de paralisação nesse dia apoiando-se nas lutas em curso no Estado.

ABAIXO ÀS REFORMAS E PRIVATIZAÇÕES!
PELA DEFESA DA EDUCAÇÃO PÚBLICA DE QUALIDADE!
PARAR O RS PARA DERROTAR SARTORI E OS ATAQUES!
RETORMAR O CAMINHO DA GREVE GERAL!




Tópicos relacionados

Greve Municipários Poa   /    Marchezan   /    Sartori   /    Greve Professores RS   /    Porto Alegre   /    Caxias do Sul   /    Educação   /    Professores

Comentários

Comentar