Sociedade

VIGÁRIO GERAL

Chacina de Vigário Geral completa 25 anos com impunidade da PM assassina

quarta-feira 29 de agosto| Edição do dia

Foto: Tv Globo

No dia 29 de agosto de 1993 a nossa polícia assassina protagonizava mais um episódio sangrento: a chacina de Vigário Geral. Esse episódio ocorreu cerca de um mês depois da chacina da Candelária. O massacre em Vigário Geral deixou 21 mortos. Segundo relata um dos sobreviventes:

"Já tinha acabado o jogo do Brasil. Entraram os caras, uns estavam encapuzados, outros não. Eles iam matando quem eles vissem na rua. Eles jogaram uma bomba no bar, ficamos meio tontos e depois eles começaram a atirar em todo mundo"

Em 2013, apenas 1 dos quatro Policiais Militares condenados permanecia preso, como demonstrou esta matéria do Extra. O estado permanece sendo cúmplice dos assassinatos policiais.

O sobrevivente teve de se fingir de morto embaixo a um cadáver de um amigo. Depois de matarem quem estava no bar, entraram em uma casa e mataram oito pessoas, “poupando” apenas cinco crianças. A chacina foi uma vingança à morte de quatro policiais militares que teriam sido assassinados pelo tráfico um dia antes. A polícia resolveu então tratar a questão a sua maneira, matando 21 inocentes e tocando o terror.

Um dos sobreviventes, que chegou a ser internado, recebeu ameaças e inclusive existia o risco de sofrer um ataque no hospital. Aos 25 anos do massacre, a associação de vítimas espalhou faixas pela cidade


Fotos: Arquivo pessoal de Cristina Leonardo

Após 25 anos, o problema está longe de ser uma realidade distante. Atualmente o estado do Rio se encontra em Intervenção Federal a 6 meses. Além disso, esse ano, o número de mortos pela polícia bateu recorde, com quatro pessoas mortas por dia em ações policiais. Isso mostra como apesar de tantos anos essa instituição continua cumprindo seu papel de reprimir e aterrorizar a população pobre e os moradores de periferias e favelas!

Fora Intervenção Federal!

Abaixo o assassinato do povo negro e pobre nas favelas!




Tópicos relacionados

Repressão   /    Sociedade   /    Racismo   /    Violência Policial   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar