Internacional

ELEIÇÕES CHILENAS

Cerca de 15000 votos para a esquerda anticapitalista em dois distritos

O projeto político levantado pelo Partido de Trabalhadores Revolucionários (PTR, organização-irmã do MRT do Brasil), com candidaturas a deputados e a CORES (Conselheiros Regionais) em Antofagasta, e o apoio ao candidato independente, militante da organização, Dauno Tótoro pelo distrito 10, na capital chilena, superou as expectativas e se reafirma como uma alternativa.

segunda-feira 20 de novembro| Edição do dia

Com uma votação que mudou as expectativas que estimavam as principais pesquisas eleitorais, Sebastián Piñera (36,62%) e Alejandro Guillier (22,67%) se enfrentarão no segundo turno que irá se realizar em dezembro.
A terceira votação, surpreendendo pelo bom resultado, foi para a candidata da Frente Ampla, Beatriz Sánchez, que alcançou 20,34% dos votos.
Em relação aos resultados obtidos pelas “candidaturas anticapitalistas” impulsionadas pelo Partido de Trabalhadores Revolucionários (PTR), tanto em Antofagasta, como em Santiago do Chile com a candidatura de Dauno Tótoro, os resultados superaram as expectativas, alcançando cerca de 15.000 votos com candidatos em apenas essas duas regiões, nos dois distritos (3 e 10).
Com os dados entregados pelo SERVEL (Servício Eleitoral chileno), Dauno Tótoro conseguiu mais de 7.500 de votos – superando a candidatos da Frente Ampla, como Natalia Castillo e Gonzalo Winter, e também a candidatos do PRO –, e no caso das candidaturas a deputados em Antofagasta, ao norte do país, superaram 4.500 votos, e em CORE alcançaram 2.500 votos.

“Estamos muito agradecidos e contentes com os resultados que superaram as nossas expectativas, pelo que nos fazem reafirmar a convicção de seguir lutando para construir uma esquerda anticapitalista, que enfrente a direita e os empresários e que se forje desde os trabalhadores, a juventude, as mulheres e os setores mais precarizados”, comenta Tótoro.

Nesse mesmo sentido a candidata a deputada pelo distrito 3 de Antofagasta, professora e militante do PTR, Galia Aguilera, considera que “os resultados são expressão de que há milhares de pessoas que se propõem a levantar uma alternativa desde o povo trabalhador, desde os movimentos sociais que protagonizaram diversas lutas, e desde uma perspectiva que declara mudar de maneira estrutural essa sociedade de classes e exploração”, afirma a candidata.

“Recebemos o apoio de milhares de pessoas, de trabalhadores, de colegas professores, de mulheres e da juventude, que acredita que um projeto independente dos empresários e dos políticos corruptos, que confie na força do povo, é possível hoje em dia e nós estamos ainda mais convencidos que devemos seguir trabalhando nessa direção”, assegura Patricia Romo, presidenta do Colégio de Professores Comunal de Antofagasta e candidata a CORE pela cidade mineira.

Nas palavras de Tótoro “não é menor que sejam 15.000 pessoas as que tenham optado por apoiar ideias anticapitalistas e um projeto com um claro perfil anti-empresarial e a favor da classe trabalhadora e dos setores mais vulneráveis. No meu caso obtivemos muitos mais votos que outros candidatos que sairão eleitos candidatos por postular em uma lista e nós de maneira independente, o que mostra que nossa alternativa e projeto chegaram para ficar”, conclui o jovem.

Os resultados eleitorais dessas eleições chilenas expressam uma clara polarização no país, com um forte apoio nos projetos de esquerda e críticos ao atual regime político do país, ainda estando aberto com o segundo turno em dezembro desse ano.




Tópicos relacionados

Chile   /    Internacional

Comentários

Comentar