Juventude

ENEM

Centros Acadêmicos chamam UNE a convocar manifestação contra erros no Enem

Publicamos abaixo nota assinada por vários Centros Acadêmicos, compostos pela juventude Faísca e independentes, em distintas universidades do país.

quarta-feira 29 de janeiro| Edição do dia

A UNE e a UBES precisam convocar jornadas reais de mobilização no país pelo Fora Weintraub e pela regularização dos que tiveram suas notas prejudicadas no Enem

A “balbúrdia” nacional dos erros no Enem escancara o projeto de Bolsonaro e Weintraub para o Ensino Superior e a educação no Brasil. Diante dos problemas escandalosos nas notas do Enem e das diversas irregularidades do processo de inscrição no Sisu, admitindo “falha humana”, Bolsonaro agora alega ser alvo de “sabotagem”. Na realidade, “sabotados” foram os milhares de jovens que, em meio às angústias que perpassam o processo excludente do vestibular, tiveram seu futuro prejudicado pelos “erros” de um governo preocupado com censurar o Enem e a arte e controlar a sexualidade da juventude. Somando os cortes milionários e a maior ingerência na estrutura de poder nas universidades e institutos federais, os cortes de bolsas de pesquisa e o projeto Future-se, não restam dúvidas de que os “erros” na verdade são expressão da profunda crise pela qual passa a educação brasileira diante das políticas sistemáticas de Bolsonaro e seu ministro para destruí-la.

Evidentemente, Bolsonaro está mais focado em investigar a suposta “sabotagem” contra o governo do que solucionar a situação de todos os que tiveram sua nota prejudicada. Após suspensão da divulgação dos resultados do Sisu e da abertura do Prouni, além do adiamento dos calendários de matrículas em distintas universidades, o tempo corre. Já são mais de 170 mil denúncias de irregularidades nas provas em todo o país, sendo impossível medir a extensão dos erros a partir dos meios oficiais.

A UNE e a UBES, dirigidas pelo PCdoB (UJS) e PT, não podem deixar os estudantes de mãos atadas esperando “boa vontade” das diversas liminares judiciais, enquanto convocam atos formais para constar no calendário, como foi o último dia 27. Pelo contrário, ainda mais em meio às férias nas escolas e universidades, consideramos fundamental que a UNE e a UBES coloquem suas energias para convocar uma jornada real de mobilizações pelo país pelo Fora Weintraub e pela regularização da situação de todos os estudantes prejudicados no Enem. Não achamos que a saída desse ministro resolva os problemas desse governo de conjunto, mas é inadmissível que Weintraub siga em seu cargo normalmente, ao mesmo tempo em que a angústia de uma imensa parcela da juventude brasileira, principalmente negra e pobre, aprofunda-se, com seus sonhos sendo alvo até mesmo de chacota pelo governo. Devemos levantar que os erros sejam apurados sob acompanhamento de uma comissão que se mantenha independente da mesma justiça que hoje afirmou que os entregadores do iFood, onde está a juventude mais precarizada do país, não têm vínculo empregatício. Precisamos de uma investigação encabeçada pelas entidades estudantis. Chamamos os setores da Oposição de Esquerda da UNE e da UBES a encamparem essa exigência e esse programa conosco.

Nossas gestões foram eleitas defendendo um programa para que todo o movimento estudantil lute pelo futuro da juventude que cada vez mais será massacrada por esse governo que aprovou a Reforma da Previdência, humilha a população nas filas do INSS e quer mais contratos precários, desemprego e privatizações. Por isso, defendendo cada jovem que teve suas notas no Enem alteradas, lutamos por uma educação que de fato sirva à classe trabalhadora e à população pobre, batalhando pela estatização das universidades privadas que multiplicam seus lucros, mais verbas para a educação pública e o fim do vestibular abrindo vagas para todos - ao contrário da declaração da UNE, expressa por seu presidente, Iago Mantovão, que defende esse vestibular como forma de democratização do acesso. Nenhum jovem deveria passar por isso. Todos devem ter o direito de estudar, sem pagar.

Assinam:

Gestão 2020 do Centro Acadêmico de Estudos Linguísticos e Literários (CAELL) - Pulso Latino - USP
Gestão 2020 do Centro Acadêmico Professor Paulo Freire (CAPPF) - Pra poder contra-atacar - USP
Gestão 2020 do Centro Acadêmico do Serviço Social (CASS) - Pra poder contra-atacar - UERJ
Gestão majoritária 2019 do Centro Acadêmico Dionísio (CADi) - Quero me livrar dessa situação precária - UFRGS
Gestão 2020 do Centro Acadêmico Tasso Correa (CATC) - Pra poder contra atacar - UFRGS
Gestão 2020 do Centro Acadêmico da Filosofia (CAFCA) - Evaldo Rosa dos Santos - UFMG
Gestão minoritária 2020 do Centro Acadêmico de Ciências Humanas (CACH) - Por todas as Ágathas - Unicamp

Aos Centros Acadêmicos e Entidades Estudantis interessados em assinar, entrar em contato com Vitória Camargo (19 99951-2018).




Tópicos relacionados

Weintraub   /    ENEM   /    Juventude

Comentários

Comentar